sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Milhares de manifestantes protestam contra Temer

© Nacho Doce / Reuters

Milhares de manifestantes ligados a sindicatos protestaram esta quinta-feira, em pelo menos 19 estados do Brasil, contra o Presidente brasileiro, Michel Temer, a quem acusam de querer atentar contra os direitos adquiridos pelos trabalhadores.

Segundo o portal de notícias G1, ocorreram protestos em cidades dos estados de Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

De acordo com o mesmo portal, até ao final da tarde, os organizadores contabilizaram 160 mil manifestantes em todo o país, enquanto a polícia dava conta de apenas mil, embora em muitos locais não tenha existido uma contagem.

O Dia Nacional de Paralisação e Mobilização das Categorias foi convocado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), contando com o apoio de outras centrais sindicais e dos movimentos Frente Brasil Popular e Povo sem Medo.

A maior afluência de manifestantes foi registada em Salvador, na Bahia, com cerca de 120 mil participantes, de acordo com a organização citada pelo G1, e onde esteve também a ex-Presidente da República Dilma Rousseff.

Os manifestantes protestaram contra as reformas laboral e da segurança social - cujas alterações foram entretanto remetidas para 2017 - e privatizações de empresas públicas.

O protesto envolveu também interrupções de aulas em escolas e universidades em alguns locais, bem como a paralisação temporária de transportes públicos, além de problemas no trânsito.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras