sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Operação Lava Jato

Lula vota nas eleições municipais brasileiras entre vaias e aplausos

O ex-Presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, arguido em dois processos na Operação Lava Jato, foi este domingo votar para as eleições municipais em São Bernardo do Campo, no estado de São Paulo, entre vaias e aplausos.

Ao chegar ao local de voto, alguns eleitores gritaram "Lula ladrão" e "vagabundo", mas o número dos que o apoiaram com gritos e aplausos foi superior, segundo a imprensa brasileira.

"Eu nem ouvi as vaias. Era tanto aplauso que nem ouvi. Eu tenho noção da minha relação com a sociedade brasileira e o que estou sentindo é que, quanto mais ódio se estimula contra mim, mais amor se cria a meu favor", disse o ex-chefe de Estado, em resposta aos jornalistas.

A partir destas eleições, Lula da Silva, que poderá candidatar-se nas presidenciais de 2018, disse que começará a andar pelo país, acrescentando: "Só tem um jeito de me pararem, é impedir que eu ande pelo país. No dia que eu não puder andar, vou andar pelas pernas do povo. E aí esse país não para".

Para o ex-Presidente, as eleições não sentirão os efeitos da Operação Lava Jato, que trata maior caso de corrupção da história do Brasil, que tem afetado o Partido dos Trabalhadores (PT), não só com os escândalos em torno de Lula da Silva, mas também com várias detenções de pessoas ligadas ao partido, inclusive ex-ministros.

"Ela pode influenciar em alguma eleição, mas não vai influenciar no resultado final, porque tem muita gente mais preocupada com a lavagem da rua, com a lavagem da escola em que os filhos estudam do que com a Operação Lava Jato", vincou.

Nas cidades médias e pequenas, frisou, "o povo vota em função da obra que será feita na sua rua, da escola que vai ser feita no bairro, do hospital que vai ser construído, na relação do prefeito [presidente de câmara] com a sociedade".

Lula da Silva destacou que o PT não é o primeiro partido a passar por uma crise, sublinhando que o partido "sobrevive aparecendo em todas as pesquisas como a legenda preferida do brasileiro".

Porém, sondagens anteciparam uma grande derrota para o PT nas eleições municipais de hoje.

Na visão de Lula da Silva, o partido "vai surpreender nesta eleição", porque tem milhões de seguidores que vivem no anonimato, com medo de dizerem que são do PT.

Entretanto, o juiz Sérgio Moro, um dos rostos mais importantes na luta contra a corrupção na Petrobras, empresa no centro da Operação Lava Jato, foi aplaudido ao votar em Curitiba.

Cerca de 144 milhões de eleitores deslocam-se hoje às urnas para escolher vereadores, presidentes e vice-presidentes de câmara em 5.568 municípios, num país onde é obrigatório votar.

Segundo o mais recente boletim do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 60 candidatos foram detidos, a par de outras 337 pessoas, num total de 907 ocorrências com eleitores ao longo da manhã de votação.

Entre os candidatos, 39 foram presos por realizarem aliciamento de eleitores, 11 por divulgarem propaganda não permitida, dois por transporte ilegal de eleitores, quatro por corrupção eleitoral e quatro por motivos não revelados.

Também precisaram de ser substituídas 1.675 urnas do total de 432.959 que estão a ser utilizadas.

Lusa

  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08
  • Reveladas escutas telefónicas entre Sócrates e Ricardo Salgado
    2:39

    Operação Marquês

    Após ser detido em 2014, Ricardo Salgado recebeu uma chamada de José Sócrates a dar o seu apoio. Nas escutas é possível perceber que o antigo primeiro-ministro fala de admiração pelo ex-banqueiro, depois de Sócrates ter garantido, na semana passada na RTP, que a relação com Ricardo Salgado era apenas institucional. Noutra conversa de Sócrates, desta vez com o advogado Daniel Proença de Carvalho, o ex-primeiro-ministro criticou Marcelo Rebelo de Sousa, quando este ainda era comentador e tinha comentado a queda do BES.