sicnot

Perfil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Crise no Brasil

Lula diz ser vítima de uma guerra feita de manipulação de leis

A defesa de Lula da Silva, constituído esta quinta-feira arguido pela terceira vez, afirmou que o ex-Presidente brasileiro é vítima de uma "guerra" travada através da manipulação de leis, por ter sido eleito "inimigo político".

"O ex-Presidente Lula é vítima de lawfare, que nada mais é do que uma guerra travada por meio da manipulação das leis para atingir alguém que foi eleito como inimigo político. Uma das táticas de lawfare é o uso de acusações absurdas e sem provas", comentaram os advogados Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira, em nota.

Para a defesa, é esta situação que se verifica na nova denúncia do Ministério Público Federal (MPF), aceite hoje pela Justiça, por alegados crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, tráfico de influência e corrupção em negócios em Angola.

Segundo a acusação, o ex-Presidente atuou junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES) e de outros órgãos para permitir financiamentos do banco estatal para obras da Odebrecht em Angola.

Na nota da defesa, lê-se que Lula da Silva é acusado "de ter influenciado a concessão de linhas de crédito de 7 mil milhões de reais (1,99 mil milhões de euros) para a Odebrechet e de ter recebido, em contrapartida, um plano de saúde para o seu irmão e a remuneração por duas palestras que ele comprovadamente fez - em valores que são iguais aos contratos relativos às demais palestras feitas pelo ex-Presidente a 41 grupos empresariais".

Contudo, os advogados acrescentam, "Lula jamais interferiu na concessão de qualquer financiamento do BNDES".

"Como é público e notório, as decisões tomadas por aquele banco são coletivas e baseadas no trabalho técnico de um corpo qualificado de funcionários", vincaram.

Os advogados remataram dizendo que, "no prazo assinalado pelo juiz, será apresentada a defesa técnica em favor de Lula, que demonstrará a ausência dos requisitos legais necessários para o prosseguimento da ação e, ainda, que o ex-Presidente não praticou qualquer dos crimes imputados - sem qualquer prova - pelo MPF".

O ex-chefe de Estado, apontado por procuradores que tratam da Operação Lava Jato como o "grande general" dos crimes investigados na Petrobras, é agora arguido em três processos.

Além deste caso, o ex-Presidente responde por corrupção e lavagem de dinheiro e por alegada tentativa de obstruir a investigação da Lava Jato.

Lula da Silva é igualmente investigado por alegada participação em organização criminosa com outros políticos no âmbito da Lava Jato e por tentativa de obstrução à Justiça, juntamente com a sua sucessora, Dilma Rousseff, devido às suspeitas levantadas quando a ex-Presidente o nomeou para ministro da Casa Civil.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.