sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Maria Luís Albuquerque orgulhosa por encabeçar lista PSD/CDS em Setúbal

A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, é a cabeça-de-lista da coligação PSD/CDS-PP "Portugal à Frente" para o distrito de Setúbal, referindo que está orgulhosa por encabeçar a lista da coligação.

Lusa

"Apesar da grave crise que afetou Portugal e os portugueses, os residentes no distrito de Setúbal souberam ser resilientes e ultrapassar os desafios que se colocaram através do empreendedorismo e da capacidade das suas gentes. Esse esforço foi, sem dúvida, um exemplo para outras regiões do país", refere Maria Luís Albuquerque, segundo comunicado da coligação enviado à Lusa.

Maria Luís Albuquerque sublinha que se sente orgulhosa com o convite para encabeçar a lista da coligação, garantido que a sua ligação ao distrito "mantém-se tão forte como antes".

"Vou continuar a dar o meu melhor por um distrito mais forte, mais competitivo e mais desenvolvido, que possa proporcionar uma maior qualidade de vida aos seus habitantes", acrescenta o documento.

A cabeça-de-lista refere que "tem estado sempre muito atenta ao que se passa na região", tentando também resolver os problemas mais prementes do distrito.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.