sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Propostas dos partidos em matéria de impostos

A eliminação da sobretaxa de IRS é uma das principais medidas propostas pelos partidos com assento parlamentar, sendo que BE e CDU exigem a sua revogação imediata, mas PS e PSD/CDS-PP apenas em 2018 e 2019, respetivamente.

© Dado Ruvic / Reuters

+++ Eis algumas das principais propostas dos partidos com assento parlamentar em matéria de impostos: +++

Bloco de Esquerda (BE)

·Eliminação da sobretaxa do Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Singulares (IRS) e reposição de oito escalões;

·Limitar as deduções fiscais até 1.000 euros nos rendimentos anuais até 20.000; 500 euros nos rendimentos entre 20.000 e 40.000 e acabar com as deduções nos rendimentos acima de 40.000 euros;

·Criar um imposto sobre grandes fortunas, uma taxa agravada para bens de luxo e uma taxa transações bolsistas e dividendos aos acionistas;

·Acabar com as "borlas fiscais" aos grandes grupos económicos no Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Coletivas (IRC);

·Diminuir o Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) da restauração para 13% e da eletricidade e gás para os 6%, bem como a redução à taxa mínima dos bens de primeira necessidade;

·No Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), proteger as primeiras habitações e acabar com a isenção dos fundos imobiliários, Igreja, partidos políticos e colégios privados.

Coligação Democrática Unitária (CDU)

·Revogação da sobretaxa de 3,5% em sede de IRS e revisão da tabela de IRS, com a introdução de 10 escalões de tributação;

·Redução da taxa normal de IVA para 21%, da taxa sobre a restauração para 13% e da taxa sobre eletricidade e gás para os 6%;

·Criar um imposto sobre os depósitos acima dos 100.000 euros, um sobre as ações e títulos de dívida com exceção da dívida pública portuguesa (0,5%);

·Reduzir a taxa de IRC para empresas com lucros inferiores a 25.000 euros (para 12,5%), aumentar para empresas com lucros superiores a esse valor.

·Criação de imposto de 0,5% sobre transações financeiras.

Partido Socialista (PS)

·Extinguir a sobretaxa de 3,5% em sede de IRS entre 2016 e 2017;

·Eliminar o quociente familiar em sede de IRS, introduzido com a reforma do IRS do Governo que entrou em vigor em janeiro deste ano, e substituí-lo por uma dedução por filho;

·Aumentar a progressividade do IRS através da "reanálise da estrutura de escalões" deste imposto;

·Criar um imposto sobre as heranças de elevado valor, que será uma das fontes de financiamento da Segurança Social.

·Rever a tributação municipal do património;

·Permitir que os contribuintes com créditos junto do Estado possam compensá-los com créditos devidos pelo Fisco e pela Segurança Social;

·Proibir as execuções fiscais de casas de residência familiar relativas a dívidas de valor inferior ao do bem executado e suspender a penhora da casa de morada de família nos restantes casos;

·Redução do IVA da restauração para 13%.

·Converter os benefícios fiscais contratuais em IRC em benefícios fiscais de funcionamento automático

Portugal à Frente (PSD/CDS)

·Redução de 0,875 pontos percentuais da sobretaxa aplicada em sede de IRS, em cada ano da legislatura, conduzindo à sua eliminação total em 2019, podendo o ritmo de reversão ser acelerado mediante a disponibilidade orçamental;

·Aumento da ponderação por filho em sede de IRS ('quociente familiar') para 0,4% em 2016 (com limite máximo de benefício nos 2.250 euros) e 0,5% em 2017 (com limite máximo do benefício passe para 2.500 euros);

· Continuação da reforma do IRC, com redução da taxa em um ponto percentual anualmente no período da legislatura, ou seja, até 17% em 2019;

· Eliminação gradual do Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas (IMT) nas transações de imóveis, que conduza à sua abolição em 2019 e sua substituição parcial por imposto do selo;

·Reversão gradual da Contribuição Extraordinária sobre o Setor Energético, que será abolida em 2018.

Lusa

  • Alianças do PS marcam discursos no Congresso do PS
    2:51
  • Souto de Moura feliz com distinção na Bienal de Arquitetura de Veneza
    1:10
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos. Depois de um curso intensivo de português durante três meses, os jovens vão iniciar o ano letivo em vários pontos do país.