sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Principais medidas dos programas sobre União Europeia e relações internacionais

A União Europeia domina o capítulo de política externa dos programas eleitorais, mas enquanto Coligação Portugal à Frente (PSD/CDS-PP) e PS defendem convergência com a Europa, BE e PCP criticam o atual modelo de integração europeu.

© Francois Lenoir / Reuters

Coligação Portugal à Frente (PSD/CDS-PP)

· Política europeia como pilar central da política externa portuguesa.

· Desempenhar papel ativo no processo de consolidação orçamental e nas reformas estruturais necessárias para garantir a competitividade da UE na economia internacional.

· Contribuir para evitar culturas ou retóricas de fragmentação entre Norte e Sul.

· Progresso do rendimento per capita face à média da União Europeia como objetivo nacional,

· Defender segunda fase de reforma da zona euro.

· Realização de uma União Financeira para o Crescimento e a Estabilidade.

· Delimitação de um quadro mais coerente para as políticas estruturais.

· Instituição de um Fundo Monetário Europeu e atribuição de caráter permanente ao cargo de Presidente do Eurogrupo.

· Conclusão do mercado único nas suas múltiplas vertentes.

· Portugal como um 'hub' na ligação entre a Europa e os continentes africano e americano.

· Desenvolvimento e consolidação da Política Comum de Segurança e Defesa.

· Prioridade à conclusão do acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento.

· Participar ativamente na construção do mercado único digital.

· Aproveitar as oportunidades de apoio ao investimento existentes ao nível da União Europeia.

· Aprofundar a dimensão estratégica da relação bilateral com os EUA.

· Aprofundar diplomacia política e relacionamento comercial com países latino-americanos.

· Relações com países de língua portuguesa continuarão a ser prioridade da política externa.

· Importância estratégica da cooperação nos domínios da educação, da língua e da cultura.

· Prestar especial atenção à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

· Valorização do papel das organizações internacionais, nomeadamente das Nações Unidas, no desenvolvimento de uma nova agenda para a paz e para o desenvolvimento.

· Empenho no combate contra o terrorismo transnacional, nomeadamente ao Estado Islâmico e seus aliados.

· Aprofundamento do relacionamento com o Magrebe.

· Incremento das relações com a China e outros países asiáticos.

· Revalorizar a diáspora.

· Maior qualidade e exigência no Ensino Português no Estrangeiro.

· Nova plataforma de ensino do Português à distância e programa de valorização das associações de portugueses no estrangeiro.

· Modernização dos serviços consulares.

Partido Socialista

· Correção dos desequilíbrios de competitividade entre os países da Zona Euro.

· Consolidar a moeda única pela via da convergência real das economias.

· Aprofundar o crescimento económico através dos mercados europeus.

· Garantir condições equitativas no contexto da União Económica e Monetária.

· Reconquistar a confiança dos cidadãos no modelo social europeu, aprofundando-o.

· Lutar por mais democracia na União Europeia, fortalecendo o quadro institucional europeu.

· Participar ativamente, a nível europeu, na governação da globalização financeira e na promoção do investimento.

· Reforçar o papel da União Europeia no mundo.

· Promover e defender a unidade da língua portuguesa.

· Reconhecer a cidadania lusófona.

· Criar um acervo histórico digital comum ao espaço lusófono.

· Fomentar uma Rota do Património Comum da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

· Estudar e reformar as programações da RTP Internacional, da RTP África, da RDP Internacional e RDP África.

· Retomar o Programa da Rede Bibliográfica da Lusofonia e a presença de Portugal nos principais certames internacionais do livro.

· Facilitar a ligação dos portugueses residentes no estrangeiro às entidades públicas nacionais.

· Potenciar o exercício da cidadania e a representatividade das comunidades portuguesas.

· Fomentar o investimento, o empreendedorismo e a internacionalização das comunidades portuguesas.

Bloco de Esquerda

· Desobedecer à austeridade imposta pela União Europeia.

· Acabar com as instituições da desregulação liberal, como a Organização Mundial do Comércio, o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, a substituir por um banco de pagamentos internacionais e de apoio ao desenvolvimento.

· Sair da NATO e exercer uma ação diplomática pela extinção deste e de todos os blocos militares.

· Respeitar a autodeterminação dos povos e a sua soberania.

· Criar um programa europeu de acolhimento de imigrantes e uma política de proteção efetiva de refugiados e de peticionários de asilo.

· Criar uma política de direitos humanos.

· Reforçar as políticas de cooperação para o desenvolvimento, dando prioridade ao investimento nos setores produtivos e na criação de emprego.

· Apostar no financiamento plurianual das organizações não-governamentais de desenvolvimento.

PCP

· Afirmar a soberania e a independência nacionais, numa Europa de cooperação de Estados soberanos e iguais em direitos.

· Romper com a conivência e subserviência face à União Europeia e à NATO.

· Romper com as políticas e orientações da União Económica e Monetária.

· Revogar o Tratado Orçamental e da União Bancária.

· Acabar com o Programa de Estabilidade e Crescimento.

· Adotar políticas económicas e financeiras europeias com vista à convergência real das economias e à coesão económica e social.

· Criar um programa de apoio aos países cuja presença no euro se tenha mostrado insustentável.

· Rever as políticas comuns para agricultura, pescas, indústria e comércio externo.

· Acabar com a exclusividade da gestão dos recursos pela União Europeia.

· Combater as políticas europeias de liberalização do comércio.

· Combater as políticas antilaborais da União Europeia.

· Reversão das políticas do comércio mundial e suspensão de todos os acordos de livre comércio da UE já assinados ou em fase de negociação.

· Abandono do projeto de Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento.

· Diversificação das relações externas de Portugal, dando particular atenção a países africanos de língua portuguesa, Brasil e Timor-Leste; aos países do Magrebe e da Bacia do Mediterrâneo; a China e Índia; e a África do Sul, Venezuela e outros países onde a emigração portuguesa é numerosa.

· Escolha de diplomatas em função da competência e não na base de critérios partidários discriminatórios.

· Valorização do papel das Nações Unidas, do Direito Internacional, da soberania dos povos e da integridade territorial dos Estados.

· Defesa intransigente do princípio da solução pacífica dos conflitos internacionais.

Lusa

  • SIC faz-se à estrada para ouvir eleitores
    2:13
  • Furacão Maria ameaça Ilhas Virgens e Porto Rico

    Mundo

    O furacão Maria "potencialmente catastrófico" está a ameaçar as Ilhas Virgens e o Porto Rico, depois de esta terça-feira ter semeado a destruição na Dominica e provocado um morto e dois desaparecidos na ilha francesa de Guadalupe.

  • Pistolas Nerf podem causar graves lesões nos olhos

    Mundo

    As balas das pistolas Nerf, quando atingem os olhos, podem causar graves lesões. O aviso é de um grupo de médicos de Londres, que recomenda a utilização de óculos protetores e o aumento da idade mínima para a utilização dos brinquedos.

    SIC

  • Investigadores descobrem como transformar gordura "má" em gordura "boa"

    Mundo

    Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington, Estados Unidos, descobriu como converter a gordura corporal "má" em gordura "boa", permitindo queimar mais calorias e atrasar o aumento de peso, num estudo conduzido em ratos. Estes resultados abrem caminho para a possibilidade de desenvolver tratamentos mais eficazes para a obesidade e para a diabetes associada ao aumento de peso em pessoas, segundo os autores.

  • Escola na Croácia usa imagem de Melania Trump para chamar alunos

    Mundo

    "Imagine até onde pode ir com um pouco de inglês", foi com estas palavras que uma escola de inglês da Croácia decidiu promover as suas aulas, juntando ainda a fotografia de Melania Trump ao placard do anúncio. Agora, a primeira-dama norte-americana ameaça levar o Instituo Americki a tribunal. Entretanto, o placard já foi retirado do local.

    SIC