sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Universidade de Verão do PSD arranca hoje com legislativas no horizonte

A um mês das eleições legislativas, alguns dos principais protagonistas do PSD voltam hoje à Universidade de Verão, em Castelo de Vide, num fórum que contará também com a participação do eurodeputado do CDS-PP Nuno Melo.

Lusa

Depois do primeiro momento da rentrée na Festa do Pontal, este ano partilhada com o parceiro de coligação CDS-PP, os sociais-democratas dão o pontapé de partida para a pré-campanha, juntando cerca de 100 alunos em Castelo de Vide, no distrito de Portalegre, que terão como professores ministros, antigos-ministros, deputados, entre outras figuras.

Hoje, e depois da sessão de abertura com presidente da JSD, Simão Ribeiro, e do porta-voz do PSD Marco António Costa, o primeiro convidado para os tradicionais jantares conferência será o presidente do Lloyds Bank, António Horta Osório.

Este ano, nenhuma figura do PS foi convidada, ao contrário do que aconteceu em anos anteriores: Mário Soares esteve na edição de 2011, Luís Amado na de 2012, Correia de Campos na de 2013 e António Vitorino na de 2014.

De fora do programa ficarão também três nomes do PSD que têm sido apontados como possíveis candidatos às presidenciais do início do próximo ano: Rui Rio, Pedro Santana Lopes e Marcelo Rebelo de Sousa - este último tem sido presença frequente em Castelo de Vide.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.