sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Livre/Tempo de Avançar propõe alto comissariado para reinstalação de refugiados

O cabeça de lista por Lisboa do Livre/Tempo de Avançar às legislativas, Rui Tavares, disse hoje que o aumento de refugiados a reinstalar em Portugal deverá servir de mote para a criação de um alto comissariado nacional sobre o tema.

Lusa

"Portugal precisará de uma unidade de reinstalação de refugiados no Ministério da Administração Interna, Portugal precisará muito provavelmente de um alto comissariado nacional para a reinstalação de refugiados que possa consertar os esforços da administração pública, dos privados, das ONG (Organizações Não Governamentais), da solidariedade cidadão, e que possa fazê-lo com uma noção de longo prazo", declarou Rui Tavares à agência Lusa.

O candidato eleitoral falava após uma ação do Livre/Tempo de Avançar sobre a atual crise no Mediterrâneo, ação tida junto às representações em Portugal da Comissão Europeia e do Parlamento Europeu, situadas no Largo Jean Monnet, em Lisboa.

Rui Tavares advogou que "esta é mais uma crise europeia que precisa de uma resposta europeia", mas o antigo eurodeputado lembra que havia legislação comunitária e um envelope financeiro europeu destinado à reinstalação de refugiados que por "vontade política" não foi acionado antes deste atual período de crise.

Portugal, sublinhou o cabeça de lista, "tem feito muito pouca reinstalação de refugiados até agora" e o aumento de pessoas a acolher levanta novas questões.

"Este Governo desestruturou a reinstalação de refugiados que era feita, descentralizou-a, não dá formação à segurança social, não tem feito nenhuma espécie de acompanhamento centralizado deste tema", vincou.

Os refugiados, advertiu Rui Tavares, "não querem estar numa situação de passividade, o que querem é poder recomeçar com as suas vidas", e como tal é fundamental um plano global para a sua integração.

"[Eles] Precisam de autonomia profissional, laboral, social, isso não se faz com ideias 'ah hoc' [pontuais], integração nesta ou naquela profissão em particular, mas com um plano integrado", disse o candidato do Livre/Tempo de Avançar, quando questionado pela Lusa sobre a sugestão do líder do PS, António Costa, de que os refugiados poderão ser úteis em Portugal por exemplo na defesa das florestas.

Desde janeiro, cerca de 365 mil pessoas já fizeram a travessia do Mediterrâneo, e mais de 2.700 morreram no esforço de chegar à Europa, segundo os números da Organização Internacional para as Migrações.

Lusa

  • Vem lá chuva

    País

    A chuva vai voltar a Portugal continental a partir de quarta-feira e pelo menos até domingo, enquanto as temperaturas mínimas deverão subir.

  • "O Sporting é o um barco à deriva"
    2:26
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    A crise do Sporting foi o principal tema em O Dia Seguinte, esta segunda-feira. José Guilherme Aguiar censura Bruno de Carvalho por ter convidado Jorge Jesus para a comissão de honra da recandidatura. Já Rogério Alves não tem dúvidas que a contestação tem aumentado de tom devido à proximidade das eleições do Sporting. Rui Gomes da Silva pensa que toda a direção leonina é responsável pelo mau momento atual do clube.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Violação emitida em direto no Facebook

    Mundo

    Três homens foram detidos na Suécia, por suspeitas de violação de uma mulher, num apartamento a 70 quilómetros da capital. Os suspeitos filmaram o ato de violência e exibiram-no em direto no Facebook.

  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.