sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Livre/Tempo de Avançar propõe alto comissariado para reinstalação de refugiados

O cabeça de lista por Lisboa do Livre/Tempo de Avançar às legislativas, Rui Tavares, disse hoje que o aumento de refugiados a reinstalar em Portugal deverá servir de mote para a criação de um alto comissariado nacional sobre o tema.

Lusa

"Portugal precisará de uma unidade de reinstalação de refugiados no Ministério da Administração Interna, Portugal precisará muito provavelmente de um alto comissariado nacional para a reinstalação de refugiados que possa consertar os esforços da administração pública, dos privados, das ONG (Organizações Não Governamentais), da solidariedade cidadão, e que possa fazê-lo com uma noção de longo prazo", declarou Rui Tavares à agência Lusa.

O candidato eleitoral falava após uma ação do Livre/Tempo de Avançar sobre a atual crise no Mediterrâneo, ação tida junto às representações em Portugal da Comissão Europeia e do Parlamento Europeu, situadas no Largo Jean Monnet, em Lisboa.

Rui Tavares advogou que "esta é mais uma crise europeia que precisa de uma resposta europeia", mas o antigo eurodeputado lembra que havia legislação comunitária e um envelope financeiro europeu destinado à reinstalação de refugiados que por "vontade política" não foi acionado antes deste atual período de crise.

Portugal, sublinhou o cabeça de lista, "tem feito muito pouca reinstalação de refugiados até agora" e o aumento de pessoas a acolher levanta novas questões.

"Este Governo desestruturou a reinstalação de refugiados que era feita, descentralizou-a, não dá formação à segurança social, não tem feito nenhuma espécie de acompanhamento centralizado deste tema", vincou.

Os refugiados, advertiu Rui Tavares, "não querem estar numa situação de passividade, o que querem é poder recomeçar com as suas vidas", e como tal é fundamental um plano global para a sua integração.

"[Eles] Precisam de autonomia profissional, laboral, social, isso não se faz com ideias 'ah hoc' [pontuais], integração nesta ou naquela profissão em particular, mas com um plano integrado", disse o candidato do Livre/Tempo de Avançar, quando questionado pela Lusa sobre a sugestão do líder do PS, António Costa, de que os refugiados poderão ser úteis em Portugal por exemplo na defesa das florestas.

Desde janeiro, cerca de 365 mil pessoas já fizeram a travessia do Mediterrâneo, e mais de 2.700 morreram no esforço de chegar à Europa, segundo os números da Organização Internacional para as Migrações.

Lusa

  • Tudo o que precisa saber sobre a moção de censura ao Governo

    País

    O Governo minoritário do PS enfrenta na terça-feira a sua primeira moção de censura, a 29.ª em 43 anos de democracia, mas PCP, BE e PEV já anunciaram que vai "chumbar" a iniciativa do CDS-PP. Esta é a sétima moção de censura apresentada pelo CDS-PP e a 29.ª a ser discutida na Assembleia da República. Os três partidos de esquerda que têm apoiado o executivo, PCP, BE e PEV, já anunciaram que votam contra. Com os votos do PS, a moção é chumbada.

  • Encontrado corpo de menina posta de castigo na rua pelo pai

    Mundo

    Sherin Mathews estava desaparecida desde o dia 7 de outubro. Este domingo a polícia do estado norte-americano do Texas encontrou o corpo de uma criança que acreditam ser a menina de três anos, desaparecida depois de o pai a colocar de castigo na rua, durante a madrugada.

    SIC

  • A cadela que desistiu da CIA para ir "perseguir esquilos e coelhos"

    Mundo

    Nem todos os cães têm aptidão para combater o crime. Este é o caso de Lulu, uma cadela que estava a treinar para ser agente da CIA, mas que acabou por entrar na reforma ainda durante os treinos. Através do Twitter, a agência norte-americana anunciou na semana passada que Lulu já não iria treinar mais e que tinha sido adotada pelo agente que a treinava.

    SIC

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC