sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

BE arranca campanha eleitoral em Paris para mostrar onde está quem teve que emigrar

Para mostrar onde estão as pessoas que tiveram que emigrar, o BE é o primeiro partido português a arrancar a campanha fora do país, lançando em Paris um combate contra a austeridade para "fazer a diferença".

MIGUEL PEREIRA DA SILVA

Em declarações à agência Lusa, o diretor de campanha do BE para as eleições legislativas, Ricardo Moreira, explicou que o partido decidiu arrancar a campanha, a 21 de setembro, fora do país, em Paris, onde se vai "reunir com emigrantes que vêm de toda a Europa, pessoas que nos últimos anos foram obrigadas a sair do país por causa da austeridade"

"Queremos mostrar onde é que estão as pessoas que tiveram que sair de Portugal neste êxodo nos últimos quatro anos e mostrar que, para que o país seja viável, é necessário arranjar condições para as pessoas não saírem de Portugal e para estas voltarem", justificou.

Durante esta campanha para as legislativas, "o Bloco está concentrado na ideia de que é preciso combater a austeridade em dois pontos", sendo o primeiro a denúncia daquilo "que a austeridade está a fazer ao país", fazendo para isso visitas a hospitais, escolas, serviços públicos cujo funcionamento está em causa ou em risco.

"Por outro lado, também nos esforçamos por mostrar bons exemplos e alternativas, o que se faz bem apesar das dificuldades", disse.

Desde o verão que o partido anda "por todo o país" em ações políticas, sendo "a média nesta fase de pré-campanha de 300 quilómetros por dia, que agora vai acelerar bastante na campanha oficial".

Ricardo Moreira explicou ainda que a caravana oficial de campanha - que contará com a presença da porta-voz bloquista, Catarina Martins, e dos principais protagonistas nos vários distritos -- terá "grandes ações em Lisboa, Porto, Coimbra, Braga, Setúbal, Faro ou Aveiro", havendo ainda a aposta nas regiões autónomas no calendário.

"Durante esses dias vamos manter a atividade de vários dirigentes do Bloco noutros locais do país", explicou.

Porque "um deputado do Bloco faz uma enorme diferença", depois do arranque oficial a 21 de setembro em Paris, a caravana bloquista terá "um mega almoço nacional" em Lisboa no dia 27, domingo, estando o encerramento da campanha, dia 02 de outubro, marcado para o Porto, como tem acontecido nas últimas eleições.

"Não posso garantir que nos próximos tempos será este o mote [fazer a diferença] porque isso tem a ver com a dinâmica da campanha, mas essencialmente essa é a mensagem: é necessário fazer diferente porque até agora este caminho da austeridade tem-nos levado até um buraco de onde não há saída e por isso dar a volta implica fazer diferente", disse.

Lusa

  • Bloco acusa governo de ter feito mais ajustes diretos
    0:46

    Novo Governo

    Catarina Martins voltou a criticar o Governo pelo negócio da subconcessão dos transportes do Porto. Foi num jantar convívio com a Comissão de Moradores de Santo António dos Cavaleiros. A porta-voz do Bloco de Esquerda apontou o dedo a um governo que falava do anterior mas que fez ainda mais negócios por ajuste directo.

  • BE contra concessão dos transportes do Porto
    2:17

    Economia

    Esta sexta-feira, ainda sem conhecer os vencedores da subconcessão dos transportes do Porto, Catarina Martins esteve com representantes de trabalhadores da STCP e do Metro. A líder do Bloco de Esquerda mantêm-se contra todo este processo.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.