sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

BE arranca campanha eleitoral em Paris para mostrar onde está quem teve que emigrar

Para mostrar onde estão as pessoas que tiveram que emigrar, o BE é o primeiro partido português a arrancar a campanha fora do país, lançando em Paris um combate contra a austeridade para "fazer a diferença".

MIGUEL PEREIRA DA SILVA

Em declarações à agência Lusa, o diretor de campanha do BE para as eleições legislativas, Ricardo Moreira, explicou que o partido decidiu arrancar a campanha, a 21 de setembro, fora do país, em Paris, onde se vai "reunir com emigrantes que vêm de toda a Europa, pessoas que nos últimos anos foram obrigadas a sair do país por causa da austeridade"

"Queremos mostrar onde é que estão as pessoas que tiveram que sair de Portugal neste êxodo nos últimos quatro anos e mostrar que, para que o país seja viável, é necessário arranjar condições para as pessoas não saírem de Portugal e para estas voltarem", justificou.

Durante esta campanha para as legislativas, "o Bloco está concentrado na ideia de que é preciso combater a austeridade em dois pontos", sendo o primeiro a denúncia daquilo "que a austeridade está a fazer ao país", fazendo para isso visitas a hospitais, escolas, serviços públicos cujo funcionamento está em causa ou em risco.

"Por outro lado, também nos esforçamos por mostrar bons exemplos e alternativas, o que se faz bem apesar das dificuldades", disse.

Desde o verão que o partido anda "por todo o país" em ações políticas, sendo "a média nesta fase de pré-campanha de 300 quilómetros por dia, que agora vai acelerar bastante na campanha oficial".

Ricardo Moreira explicou ainda que a caravana oficial de campanha - que contará com a presença da porta-voz bloquista, Catarina Martins, e dos principais protagonistas nos vários distritos -- terá "grandes ações em Lisboa, Porto, Coimbra, Braga, Setúbal, Faro ou Aveiro", havendo ainda a aposta nas regiões autónomas no calendário.

"Durante esses dias vamos manter a atividade de vários dirigentes do Bloco noutros locais do país", explicou.

Porque "um deputado do Bloco faz uma enorme diferença", depois do arranque oficial a 21 de setembro em Paris, a caravana bloquista terá "um mega almoço nacional" em Lisboa no dia 27, domingo, estando o encerramento da campanha, dia 02 de outubro, marcado para o Porto, como tem acontecido nas últimas eleições.

"Não posso garantir que nos próximos tempos será este o mote [fazer a diferença] porque isso tem a ver com a dinâmica da campanha, mas essencialmente essa é a mensagem: é necessário fazer diferente porque até agora este caminho da austeridade tem-nos levado até um buraco de onde não há saída e por isso dar a volta implica fazer diferente", disse.

Lusa

  • Bloco acusa governo de ter feito mais ajustes diretos
    0:46

    Novo Governo

    Catarina Martins voltou a criticar o Governo pelo negócio da subconcessão dos transportes do Porto. Foi num jantar convívio com a Comissão de Moradores de Santo António dos Cavaleiros. A porta-voz do Bloco de Esquerda apontou o dedo a um governo que falava do anterior mas que fez ainda mais negócios por ajuste directo.

  • BE contra concessão dos transportes do Porto
    2:17

    Economia

    Esta sexta-feira, ainda sem conhecer os vencedores da subconcessão dos transportes do Porto, Catarina Martins esteve com representantes de trabalhadores da STCP e do Metro. A líder do Bloco de Esquerda mantêm-se contra todo este processo.

  • Fogo na Sertã alastrou aos concelhos de Mação e Proença-a-Nova
    2:37

    País

    Mais de 700 bombeiros combatem o incêndio que começou este domingo na Sertã e, durante a noite foi empurrado pelo vento para outros dois concelhos. As chamas atingiram as zonas de Mação e de Proença-a-Nova, onde os habitantes dizem que há várias casas destruídas pelo fogo. Esta manhã, chegaram dois aviões espanhóis para ajudar a controlar as chamas.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

    Em atualização

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Genro de Donald Trump depõe hoje no Senado

    Mundo

    Jared Kushner, genro do Presidente dos EUA Donald Trump, vai hoje depor à porta fechada perante o comité dos serviços de inteligência do Senado, a câmara alta do Congresso norte-americano.

  • " A melhoria das contas públicas não foi feita à custa dos portugueses"
    1:30

    País

    Numa espécie de balaço deste ano e meio de governação, o primeiro-ministro voltou a assinalar voltou a assinalar a redução do défice e as melhorias nas contas públicas. Num jantar com militantes em Coimbra, António Costa garantiu ainda que a "verdadeira reforça do Estado avança até ao final desta legislatura, que é a Descentralização.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Margem mínima de mil votos obriga a negociações intensas em Timor-Leste

    Mundo

    A Fretilin venceu sem maioria absoluta as lesgislativas para o VII Governo constitucional de Timor-Leste. De acordo com os dados oficiais, o partido de Mari Alkatiri obteve perto de 170 mil votos e conquistou 23 deputados. Já o partido de Xanana Gusmão que tinha vencido há cinco anos, ficou em segundo com 167 mil votos e 22 lugares no parlamento, num total de 65.