sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

CDU já goza de 17% de "votos" entre funcionários da Autoeuropa

A Coligação Democrática Unitária (CDU) congratulou-se hoje com 17% de intenções de voto nas legislativas entre o universo de 3.670 funcionários da fábrica Autoeuropa, em Palmela, segundo dados de elementos da comissão de trabalhadores.

PAULO NOVAIS/LUSA

"Tem havido uma evolução com grande significado", afirmou o líder comunista, Jerónimo de Sousa, enquanto distribuía panfletos e cumprimentava perto de um milhar de funcionários em rotação de turno, "uma massa imensa de trabalhadores".

O secretário-geral do PCP notou que, "de ano para ano", há "o alargamento do PCP e da CDU, até na forma de ser recebido", pois "isto era impensável há quatro anos", num complexo industrial em que o coordenador do organismo que representa os funcionários é o sindicalista e mandatário nacional do BE, António Chora.

"[O objetivo da CDU é] Aumentar votos e deputados, tudo o que vier é ganho, tudo o que seja para além dos 7,9% significa avanço e crescimento. Cada décima que conquistemos terá sempre significado importante", definiu Jerónimo de Sousa, após ser informado de que 620 (17%) funcionários da Autoeuropa já assinaram um manifesto de apoio à coligação com "Os Verdes".

O técnico de produção António Magrinho, 10.º colocado nas listas da CDU por Setúbal e membro da comissão de trabalhadores da empresa, e o operador de linha Pedro Caramelo atestaram os números de aderentes.

"Muitos trabalhadores constatam que encontram sempre esta força (CDU) na solidariedade com a sua luta, no quadro das eleições e fora das eleições", continuou Jerónimo de Sousa, saudando a "nova geração de operários a quem chamam muitas vezes técnicos".

Após o contacto com os funcionários da fábrica automóvel, a comitiva da CDU seguiu para uma sessão pública de esclarecimento, no Montijo, antes de rumar para o comício da noite, na Marinha Grande.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52