sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Garcia Pereira diz que é preciso afastar "traidores da Pátria"

O candidato do PCTP/MRPP pelo círculo eleitoral de Lisboa às eleições legislativas de 04 de outubro, Garcia Pereia, defendeu hoje, em Palmela, que é preciso "correr com os traidores da Pátria e recuperar a independência do país".

Lusa

"Temos de recuperar a independência de um país que está hoje transformado num verdadeira colónia da Alemanha. E isso só é possível com um governo de unidade democrática e patriótica, como temos nós vindo a defender sistematicamente, para correr com os traidores, para levar a cabo um programa de desenvolvimento económico, de emprego e igualdade social", disse Garcia Pereira, numa ação de campanha junto dos trabalhadores da fábrica de automóveis da Autoeuropa.

"Nestas eleições, o que está em causa é saber se corremos, ou não, com os traidores à Pátria, que venderam o país a retalho e que condenaram os trabalhadores, e em particular os operários, a pagar, pelos cortes nos salários, pelo aumento dos horários de trabalho, pelos aumentos dos impostos sobre os rendimentos do trabalho, uma dívida que não é dos trabalhadores portugueses, porque não foram eles que a contraíram. É uma divida da banca", sublinhou.

Muito crítico dos sucessivos governos do PS, PSD e PSD/CDS-PP, que responsabilizou pelas políticas de austeridade, o dirigente do PCTP/MRPP reconheceu que a recuperação da independência de Portugal não será possível "enquanto o país estiver garrotado pelo euro e aceitar a lógica de pagamento de uma dívida que é da banca".

"As políticas de austeridade representam a passagem direta, dos bolsos dos operários e demais trabalhadores, para os cofres dos capitalistas e dos credores internacionais de seis mil milhões de euros todos os anos. É um saque nunca visto e que é a consequência de o nosso país ter sido transformado num país que não produz nada e que é uma mera colónia da Europa alemã", disse Garcia Pereira.

O dirigente do PCTP/MRPP defendeu ainda que, na campanha eleitoral, os três partidos que têm governado o país deviam era explicar aos portugueses como é que vão pagar uma dívida de 225 mil milhões de euros.

"Em 2020 são 17 mil milhões de euros por ano. Como é que vão pagar essa dívida", questionou o candidato do PCPT/MRPP por Lisboa.

Lusa

  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.