sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Garcia Pereira diz que suspensão da frase não isenta traidores da morte certa

O candidato do PCTP/MRPP por Lisboa às eleições legislativas, Garcia Pereira, afirmou hoje que a suspensão da frase "morte aos traidores" do material de campanha deste partido não isenta os traidores da morte certa.

"Obviamente que essa decisão não tem o mérito de fazer isentar os traidores do opróbrio e da morte certa que os espera", afirmou.

Garcia Pereira falava na Covilhã, distrito de Castelo Branco, à margem de uma ação de campanha que levou a cabo na Universidade da Beira Interior e durante a qual contactou com alguns alunos daquela instituição.

Questionado pelos jornalistas sobre o facto de hoje o PCTP/MRPP ter anunciado que suspendeu do seu material de campanha eleitoral para as eleições legislativas de outubro a frase "Morte aos Traidores", Garcia Pereira limitou-se a explicar que a decisão foi tomada no sentido de dar respostas "às objeções suscitadas pela mandatária nacional para a juventude", Virgínia Valente, e que abrange todos os meios da campanha eleitoral, nomeadamente os tempos de antena.

Sobre a ação que levou a cabo, lembrou que a mesma visou "denunciar o estrangulamento a que a cultura e ciência estão a ser submetidas por este Governo e por outro lado o emparedamento do futuro da juventude".

No contacto com os alunos, alguns dos quais vão votar pela primeira vez, o candidato abordou diversos assuntos, como o desemprego, a emigração, o mar, a agricultura e a Europa, ao mesmo tempo que fazia o apelo direto ao voto.

Nesse sentido, repetiu diversas vezes que os jovens não podem deixar "o futuro por mãos alheias", nem aceitar a ideia de que Portugal é um país condenado.

Um fatalismo que também não aceita para o interior do país: "Encerram-se hospitais, encerram-se maternidades, encerram-se centros de saúde, encerram-se estações do correio, encerram-se tribunais, e portanto vai-se condenando as populações, sobretudo destas zonas do interior, à completa desertificação e evidentemente ao envelhecimento e abandono, mas isso não é uma fatalidade do destino, é a consequência de uma política que transformou o nosso país, não num país livre e desenvolvido, mas numa coutada da Europa alemã".

Durante a tarde, Garcia Pereira estará nas Minas da Panasqueira, seguindo depois para Castelo Branco.

O candidato do PCTP/MRPP pelo círculo eleitoral de Lisboa às eleições legislativas de 04 de outubro, Garcia Pereira, defendeu esta semana, em Palmela, que é preciso "correr com os traidores da Pátria e recuperar a independência do país", o que causou várias críticas e indignação em vários setores da sociedade.

Panfletos do partido para as eleições legislativas 2015 começavam com a frase "Morte aos Traidores ! Fora do Euro".

Lusa

  • Vem lá chuva

    País

    A chuva vai voltar a Portugal continental a partir de quarta-feira e pelo menos até domingo, enquanto as temperaturas mínimas deverão subir.

  • "O Sporting é o um barco à deriva"
    2:26
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    A crise do Sporting foi o principal tema em O Dia Seguinte, esta segunda-feira. José Guilherme Aguiar censura Bruno de Carvalho por ter convidado Jorge Jesus para a comissão de honra da recandidatura. Já Rogério Alves não tem dúvidas que a contestação tem aumentado de tom devido à proximidade das eleições do Sporting. Rui Gomes da Silva pensa que toda a direção leonina é responsável pelo mau momento atual do clube.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Violação emitida em direto no Facebook

    Mundo

    Três homens foram detidos na Suécia, por suspeitas de violação de uma mulher, num apartamento a 70 quilómetros da capital. Os suspeitos filmaram o ato de violência e exibiram-no em direto no Facebook.

  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.