sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Sócrates vai votar sem escolta policial

A defesa de José Sócrates disse esta sexta-feira que o ex-primeiro ministro socialista vai votar no domingo "sem escolta policial". Até porque de outra forma não o faria, "por questões de dignidade pessoal", afirmou João Araújo, em declarações à Lusa.

O juiz Carlos Alexandre determina por despacho a prisão domiciliária de José Sócrates, que se encontrava detido em prisão preventiva há 288 dias.

O juiz Carlos Alexandre determina por despacho a prisão domiciliária de José Sócrates, que se encontrava detido em prisão preventiva há 288 dias.

Lusa

"O engenheiro José Sócrates nunca aceitaria votar, como várias vezes o disse, com escolta policial por razões de dignidade pessoal e para não condicionar o ato eleitoral", disse João Araújo em declarações à Lusa.

Segundo o advogado, José Sócrates, em prisão domiciliária desde 4 de setembro, deixou claro que "nunca aceitaria votar com escolta policial, para que o espetáculo não condicionasse o acto eleitoral".

"Essa escolta [policial] não existirá", acrescentou.

João Araújo adiantou que José Sócrates já informou o juiz de Instrução Criminal, Carlos Alexandre, sobre as questões pertinentes relacionadas com o exercício de voto.

José Sócrates foi detido a 21 de novembro de 2014, no aeroporto de Lisboa, indiciado pelos crimes de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva para ato ilícito, tendo ficado preso preventivamente no Estabelecimento Prisional de Évora.

A medida de coação foi alterada para prisão domiciliária, com vigilância policial, a 4 de setembro.

Com Lusa

Lusa

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Incêndio em Alfragide deixa 12 pessoas desalojadas
    1:59

    País

    Um incêndio destruiu este domingo a cobertura de um prédio de habitação em Alfragide, no concelho da Amadora. Doze pessoas ficaram desalojadas, mas ninguém ficou ferido. Os bombeiros dominaram o fogo em cerca de uma hora, os moradores queixam-se da falta de eficácia no combate às chamas.