sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

PCTP/MRPP promete "combate" e reconhece que falhou objetivo

O cabeça de lista por Lisboa do PCTP/MRPP reconheceu hoje que o seu partido não alcançou o objetivo de eleger deputados, mas disse que "continuará a combater o governo de traição nacional que vier a sair das eleições".

Lusa

Em comunicado, Garcia Pereira refere ainda assim que o PCTP/MRPP (com 1,11 por cento/59.812 votos) manteve "o essencial do seu eleitorado", face a resultados obtidos anteriormente.

Num balanço em relação a outras forças partidárias, o PCTP/MRPP foi crítico em todas as direções, começando por salientar a perda "de mais de 700 mil votos" por parte do PSD/CDS-PP face àquilo que diz ter sido a "atuação oportunista do partido dito socialista".

"[António Costa] Não apresentou qualquer ideia ou proposta alternativa à política de austeridade, de pagamento da dívida e de submissão aos ditames da Europa alemã levada a cabo pelo governo de traição nacional Coelho/Portas", justifica.

Garcia Pereira considera assim que o PS "sofreu uma merecida derrota" e que "a subida da votação alcançada pelo Bloco de Esquerda também não representará qualquer alteração radical da grave situação de miséria e de fome do povo trabalhador".

Mais de 9,6 milhões de eleitores foram hoje chamados a votar para a escolha de 230 deputados à Assembleia da República.

A estas eleições, concorreram 16 forças políticas, entre as quais três coligações.

A coligação PSD/CDS-PP é a força política mais votada com 38,55% dos votos e com 104 mandatos nas eleições legislativas de hoje, quando estão apurados os resultados provisórios em todas as 3092 freguesias, de acordo com os dados da Secretaria-Geral do Ministério de Administração Interna - Administração Eleitoral.

O PS foi o segundo partido mais votado com 32,38% elegendo 85 deputados.

Lusa

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31