sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Fitch alerta para riscos da instabilidade política na consolidação orçamental

A Fitch afirma que é improvável que o resultado das legislativas de domingo traga "grandes mudanças de política" em Portugal, mas alerta que a "instabilidade política pode reduzir a consolidação orçamental e a implementação de reformas".

A coligação formada pelo PSD e CDS-PP, designada Portugal à Frente, venceu com 38,55% dos votos (o que representa 104 deputados), tendo perdido a maioria absoluta, e o PS foi o segundo partido mais votado, com 32,38% (85 deputados), estando ainda por atribuir quatro assentos na futura Assembleia da República, referentes aos círculos da emigração. (Arquivo)

A coligação formada pelo PSD e CDS-PP, designada Portugal à Frente, venceu com 38,55% dos votos (o que representa 104 deputados), tendo perdido a maioria absoluta, e o PS foi o segundo partido mais votado, com 32,38% (85 deputados), estando ainda por atribuir quatro assentos na futura Assembleia da República, referentes aos círculos da emigração. (Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

A coligação formada pelo PSD e CDS-PP, designada Portugal à Frente, venceu com 38,55% dos votos (o que representa 104 deputados), tendo perdido a maioria absoluta, e o PS foi o segundo partido mais votado, com 32,38% (85 deputados), estando ainda por atribuir quatro assentos na futura Assembleia da República, referentes aos círculos da emigração.

Num comunicado enviado às redações, a agência de notação financeira considera que o resultado das eleições não deverá representar mudanças substanciais na política orçamental nem macroeconómica, realçando que "os partidos do centro-direita e do centro-esquerda estão comprometidos com a necessidade de prudência fiscal".

No entanto, a Fitch alerta para o abrandamento da consolidação orçamental e para o aumento do défice, quando Portugal se comprometeu a reduzir o défice para os 2,7% em 2015 e para os 1,8% em 2016.

A agência de 'rating' defende que a perda da maioria absoluta no parlamento por parte do PSD e do CDS-PP põe em risco a consolidação orçamental e dificulta a implementação de reformas estruturais.

"A constituição de um governo minoritário aumenta o risco de consolidação orçamental e de reformas estruturais, que ficam assim dependentes de consenso político", lê-se no relatório da Fitch, que realça que "a maioria dos governos minoritários que existiram em Portugal não chegaram a completar o mandato".

Para a agência de 'rating' este contexto comporta ainda outro risco: "Um Governo, consciente da possibilidade de eleições antecipadas, poderá ser cauteloso na implementação de reformas difíceis ou impopulares que dariam um impulso adicional ao investimento e ao crescimento económico".

Neste contexto, a Fitch decidiu manter o 'rating' da dívida de longo prazo de Portugal no primeiro nível de "lixo" (BB+), com perspetiva positiva, refletindo as melhorias na economia portuguesa.

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.