sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Governo em Portugal com partidos anti-europeus seria "inconsistente" e "incoerente", diz Barroso

O ex-presidente da Comissão Europeia José Manuel Durão Barroso considerou hoje que Portugal precisa de um Governo composto por forças políticas "coerentes e consistentes", o que não existiria com partidos que se opõem ao projeto europeu.

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Peter Andrews / Reuters

"Houve uma força política que ganhou claramente as eleições, a coligação PSD/CDS-PP, com uma vitória clara, mas é verdade que não teve a maioria no parlamento. Por isso seria desejável que houvesse algum acordo entre forças políticas que partilham dos mesmos grandes objetivos, nomeadamente em termos europeus, porque senão não teremos estabilidade e sim um Governo assente numa solução inconsistente e incoerente", disse Durão Barroso à entrada para o Congresso do Partido Popular Europeu (PPE), onde será agraciado com o prémio de Mérito do PPE.

A coligação PSD/CDS-PP ganhou as eleições legislativas de 04 de outubro, sem maioria absoluta, abrindo a porta a uma coligação de esquerda que está a ser negociada entre o segundo partido mais votado, o PS, o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista Português (PCP).

Sem nunca referir nomes de partidos em concreto, o antigo primeiro-ministro do PSD sublinhou que "é preciso ver que há partidos em Portugal que merecem todo o respeito, mas que são contra a pertença de Portugal à União Europeia, contra a inclusão do Tratado Orçamental, contra o Tratado de Lisboa - expressamente estão a reclamar a revogação do Tratado de Lisboa -, além de serem contra a NATO, o Fundo Monetário Internacional (FMI), contra a Organização Mundial do Comércio".

Para Durão Barroso, Portugal tem, por isso, um problema: "Uma maioria deve ter coerência e consistência".

"E eu desejo - neste momento não sei o que se pode esperar, parece uma situação complicada - que Portugal não ponha em risco todos os sacrifícios que foram feitos, não se pode brincar com o fogo", vincou.

Questionado sobre se é o PS quem está a brincar com o fogo, ao negociar com o Bloco de Esquerda e do PCP e não com a coligação PSD/ CDS/PP, Durão Barroso reiterou que "é desejável que haja um Governo coerente em Portugal".

"Portugal não pode estar no centro da União Europeia, a cumprir os objetivos a que está obrigado, com partidos que, a menos que se tenham convertido noutra coisa diferente, são estruturalmente contra isso. E que o disseram, não num programa há muitos anos, mas sim nestas eleições", salientou.

Durão Barroso considerou que uma coligação que integre partidos que pensam desta forma seria "meramente uma coligação negativa", incapaz de "gerar confiança na economia portuguesa, do ponto de vista internacional".

O antigo presidente da Comissão Europeia alertou que, apesar de Portugal "não estar na situação da Grécia", também ainda não consolidou a sua economia, ao ponto de estar tornar irreversível a recuperação.

"Muitos especuladores gostariam de jogar com a instabilidade de Portugal, portanto, não se pode brincar com o fogo", avisou.

Em jeito de conclusão, Durão Barroso explicou que "estabilidade não significa exatamente os mesmos membros no Governo", mas sim "um apoio suficientemente forte a uma solução governativa, que tenha coerência".

"Uma maioria coerente é necessária em democracia, senão é apenas um artifício para algumas pessoas se manterem no poder a qualquer custo, o que não me parece correto", declarou.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59