sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Líder da CGTP acusa PR de tomar o partido da coligação de direita

O secretário-geral da CGTP acusou hoje o Presidente da República de ter tomado o partido da coligação de direita, ao indigitar Passos Coelho para primeiro-ministro, atentanto contra a democracia e a vontade dos eleitores portugueses.

MANUEL DE ALMEIDA

"O Presidente da República (PR) não devia tomar partido, mas tomou, a favor dos partidos que têm estado no Governo", disse Arménio Carlos à agência Lusa.

Para o sindicalista, "a declaração do PR é um atentado à democracia e à vontade dos eleitores".

O líder da Intersindical lamentou que Cavaco Silva não tivesse tido em conta "o sentido de mudança que a maioria dos eleitores assumiu no dia 04 de outubro" passado.

O sindicalista considerou ainda que o PR, com os argumentos que apresentou para justificar a sua decisão, "procurou espalhar o terror e discriminou os restantes partidos".

"Não está em causa a saída da União Europeia ou do euro. O PCP e o Bloco de Esquerda têm defendido a necessidade de discussão destas questões, mas o Presidente da República passou de uma proposta de discussão para uma posição decisória relativamente à permanência de Portugal na UE e no euro", declarou.

Arménio Carlos manifestou esperança de que os partidos de esquerda sejam coerentes e rejeitem o programa de Governo da coligação PSD/CDS-PP.

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, anunciou hoje numa comunicação ao país que indigitou o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, para o cargo de primeiro-ministro, por ter vencido as eleições legislativas de 04 de outubro passado.

Lusa

  • 2017 regista o valor mais alto de área ardida da última década
    0:56
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.

  • Suspeitas de fraude em matrículas escolares
    2:24

    País

    A Inspeção-Geral de Educação e Ciência (IGAE) abriu uma investigação por suspeitas de fraude nas matrículas, no agrupamento Filipa de Lencastre, em Lisboa. Muitos pais queixam-se de alegadas irregularidades no processo de admissão de vários alunos. Em algumas escolas foi preciso recorrer aos serviços da PSP para acalmar os ânimos. 

  • Trump acusa o procurador-geral dos EUA de ser fraco
    1:46