sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

PSD admite como possível retomar o diálogo com PS

O vice-presidente e porta-voz do PSD, admitiu hoje, no Porto, a possibilidade de a Coligação Portugal à Frente retomar o diálogo com o PS, sublinhando que o programa socialista tem "muitos pontos de contacto" com o do PSD/CDS.

(Lusa/ Arquivo)

"Acreditamos que o PS tem sempre a oportunidade para corrigir a trajetória errada que está a fazer relativamente à história, porque a sua história não é no sentido desta trajetória, estamos a um mês do 25 de novembro e recordamos a importância que o PS teve para ajudar a cimentar valores de democracia que nós perfilhamos", afirmou.

Em declarações aos jornalistas, no final de um encontro com dirigentes da JSD do distrito do Porto, Marco António Costa disse que a coligação nunca fechou as portas ao diálogo. "Julgo que toda a gente já percebeu que o simulacro que tivemos até aqui com o PS é porque efetivamente há uma ambição pessoal de alguém que quer sobrepor a sua ambição aos interesses nacionais", sustentou.

"Eu não perfilho da ideia de que o governo tem que cair fruto da aprovação de uma moção de rejeição do programa de governo. Não vamos queimar etapas, não vamos falar sobre etapas futuras que ainda não chegaram", disse.

O porta-voz do PSD considerou que "é sempre possível, a todo o tempo, em democracia, o diálogo com todos os partidos sem exceção, mas nós sabemos que há partidos que têm programas e projetos políticos que são inconciliáveis com aqueles que o PSD, o CDS e o PS defendem para a sociedade portuguesa".

"Os nossos programas, em muitos pontos, são conciliáveis, o que não são conciliáveis são os programas do PS, do BE e do PCP, a não ser num arranjo oportunista de querer chegar ao poder de qualquer maneira e de criar uma condição de bloqueio ao respeito do resultado eleitoral de 04 de outubro", sublinhou.

Para Marco António Costa, "é preocupante ver que se criou uma coligação de bloqueio em Portugal, relativamente ao respeito que era devido e merecido pelos portugueses quanto ao resultado eleitoral do dia 04 de outubro".

"O que temos visto é uma soma de vontades negativas que pretendem subverter os resultados eleitorais de 04 de outubro, impedindo que quem venceu as eleições possa governar o país", referiu.

Em seu entender, "isto não teria relevância se fosse um mero jogo floral entre políticos, mas a verdade é que isto prejudica o país e gera graves consequências de instabilidade na imagem externa e interna, provoca necessariamente perturbações ao percursos de crescimento económico que o país estava a viver e também de recuperação do emprego e baixa do desemprego que no0s últimos meses temos sentido de forma sustentada e que temos a expectativa que possa continuar no futuro".

"Julgo que os portugueses têm razões fundadas para manifestar uma grande preocupação relativamente ao seu futuro, com esta atitude de soma de vontades negativas que formam uma força de bloqueio ao respeito pelo resultado eleitoral de 04 de outubro", acrescentou.

Lusa

  • A fábrica de caças na base aérea de Monte Real
    3:35
  • Comprar ou arrendar casa?
    8:25
  • Fui contactado por um espectador do “Contas-Poupança” (quartas-feiras, Jornal da Noite, SIC) e leitor do blogue www.contaspoupanca.pt, que foi surpreendido com uma carta do banco a aumentar o spread porque um dos serviços que tinha subscrito tinha sido extinguido. Neste caso específico, a domiciliação de ordenado. Ora, o cliente ficou estupefacto porque não mudou de empresa, não foi despedido nem tinha havido nenhuma alteração no recebimento do ordenado naquela conta.

    Pedro Andersson

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Temer acusado de prejudicar Polícia Federal
    2:36
  • Violência volta às favelas do Rio de Janeiro
    3:21

    Mundo

    As favelas do Rio de Janeiro voltaram aos níveis de violência dos anos 90. A cidade de Deus foi uma das favelas pacificadas que voltou a registar tiroteios diariamente, os moradores falam de situações de trauma e do medo das crianças.

  • Trump interrompe telefonema para elogiar jornalista

    Mundo

    A jornalista irlandesa Caitriona Perry viu-se esta terça-feira envolvida num momento que a própria classificou de "bizarro": um encontro inesperado com Donald Trump, que interrompeu um telefonema com o primeiro-ministro irlandês para... a elogiar.

    SIC

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.

  • Cão corre os EUA a entregar águas aos árbitros em jogos de basebol
    0:20