sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Pormenores do acordo com PS só após aprovação por outros partidos, diz o BE

O Bloco de Esquerda (BE) disse hoje à agência Lusa que os pormenores sobre o acordo com o PS só vão ser tornados públicos depois de os outros partidos em conversações aprovarem o documento nas respetivas direções.

"O acordo só será público depois de os outros partidos aprovarem nas respetivas direções, pelo que, para já não, iremos comentar mais nada", respondeu à Lusa fonte do partido, depois de questionada sobre os pormenores das negociações com o PS.

O BE anunciou hoje de madrugada na sua página oficial a conclusão das negociações com o PS para a formação de uma alternativa de Governo, considerando que estão criadas as condições para um acordo à esquerda.

Este anúncio foi feito através de uma breve publicação, intitulada "Bloco concluiu negociações com PS", com o seguinte conteúdo: "A Comissão Política do Bloco de Esquerda aprovou na noite de quinta-feira o documento de trabalho resultante das negociações do Bloco com o Partido Socialista".

No mesmo texto, colocado no 'site' esquerda.net, pode ler-se: "A Comissão Política congratula-se com este resultado. Pela parte do Bloco, as negociações com o PS estão concluídas e estão reunidas as condições para um acordo à esquerda pela proteção do emprego, dos salários e das pensões".

O mesmo anúncio foi feito, por volta da 01:00, no Twitter, pela porta-voz do BE, Catarina Martins, que na sua conta oficial nesta rede social remeteu para a curta declaração colocada no 'site' deste partido.

Além da assessoria do BE, a Lusa contatou as dirigentes bloquistas Catarina Martins e Mariana Mortágua, mas sem obter resposta.

A Lusa pediu também uma posição do Partido Socialista, mas a assessoria de António Costa remeteu esclarecimentos para uma entrevista que o secretário-geral socialista dará hoje ao Jornal da Noite da SIC.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.