sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Passos diz que programa da esquerda penaliza "condições de crescimento"

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, defendeu hoje que investidores e credores vão retrair-se perante ideias que implicam "degradação orçamental" do programa alternativo da esquerda e que isso penalizará "as condições de crescimento da economia".

Lusa

Lusa

MIGUEL A. LOPES

"Creio que hoje posso dizer que se ganharem adesão ideias que tenho vindo a observar, a ler a ouvir - que implicam uma certa degradação do caminho consolidação orçamental que temos vindo a praticar, que impliquem um processo muito mais célere de recuperação de rendimentos do que aquele que pode ser sustentado pelo crescimento da economia - exista por parte dos investidores e dos nossos credores uma retração que acabará por penalizar as condições de crescimento da economia portuguesa", afirmou Passos Coelho no parlamento.

O chefe de Governo começou por afirmar que nesta altura o país "com certeza" já está a pagar "um certo preço pela incerteza que rodeia o final deste debate e eventualmente possa suceder na sequência do encerramento deste debate", referindo-se às moções de rejeição cuja aprovação pela maioria de esquerda implica a queda do executivo e à eventual formação de Governo do PS com apoio parlamentar de BE, PCP e PEV.

Passos falava no parlamento em resposta ao líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, no debate do Programa do XX Governo Constitucional, que começou hoje e encerra na terça-feira.

Lusa

  • PSD e CDS têm caminhos diferentes
    1:22

    País

    Assunção Cristas já respondeu a Pedro Passos Coelho, depois de o líder do PSD ter recusado apoiar a candidatura da líder do CDS à Câmara de Lisboa. Cristas diz que os dois partidos têm caminhos diferentes. O PSD continua sem apresentar candidato. Contudo, Marques Mendes revelou que Passos Coelho convidou José Eduardo Moniz a candidatar-se à Câmara de Lisboa.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.