sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Paulo Morais indigitava Costa de imediato para haver Governo em funções em 8 dias

O candidato presidencial Paulo Morais afirmou hoje que se fosse Presidente da República indigitava de imediato o secretário-geral socialista, António Costa, como primeiro-ministro, defendendo que em oito dias Portugal deveria ter o Governo em plenitude de funções.

(SIC/ Arquivo)

Em declarações à agência Lusa após um encontro com o padre Jardim Moreira, da Rede Europeia Anti-pobreza, Paulo Morais afirmou que, se fosse Presidente da República, e após a queda do Governo na terça-feira, "hoje mesmo teria convocado os partidos com assento parlamentar e teria indigitado o Dr. António Costa como primeiro-ministro", no pressuposto que o secretário-geral do PS "tem um acordo de incidência parlamentar que lhe garante estabilidade governativa".

"Pedir-lhe-ia que me apresentasse um Governo em 48 horas com dirigentes sérios, com políticos sérios. Nós precisamos de ministros sérios, o que não temos tido infelizmente nos últimos anos", disse ainda, defendendo que em oito dias deveria haver um Governo em plenitude de funções.

O candidato presidencial explicou ainda que pediria também ao António Costa que "não esgotasse o prazo de 10 dias para a apresentação do Programa do Governo, que o apresentasse já" porque "Portugal precisa de normalidade democrática".

"Já não a temos há 38 dias, as eleições foram no dia 04 de outubro. Estamos quase há 40 dias sem saber qual é o modelo governativo que vamos ter nos próximos tempos. O país não aceita isto, não atura isto", alertou.

Ressalvando que Cavaco Silva "fará seguramente aquilo que é o seu melhor entendimento", Paulo Morais explicou que defende "um entendimento de urgência, de emergência".

"Portugal tem necessidade urgente de ter uma normalidade democrática, que impõe ter um Governo em atividade, ter um parlamento a controlar a atividade do Governo e a propor medidas legislativas e desde logo aprovar o Orçamento do Estado para 2016", observou.

Para o ex-vice-presidente da Câmara do Porto, tanto quanto dizem as notícias e a informação que lhe vai chegando, "António Costa dispõe de um acordo de incidência parlamentar que lhe garante estabilidade governativa, tem já um programa do Governo e não faz sentido estar a esperar mais".

Lusa

  • Inglaterra estreia-se com vitória suada frente à Tunísia

    Mundial 2018 / Tunísia

    A seleção inglesa estreou-se no Mundial 2018 com um triunfo sobre a Tunísia por 2-1, com o golo da vitória a ser apontado já para lá do minuto 90. O jogo foi referente à 1.ª jornada do grupo G. Veja aqui os golos e os lances que marcaram o encontro.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC