sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

António Costa indigitado primeiro-ministro

O Presidente da República indicou o secretário-geral do PS para primeiro-ministro. Durou cerca de uma hora o encontro de hoje entre Cavaco Silva e António Costa.

ANDRÉ KOSTERS/LUSA

A Presidência entregou uma nota aos jornalistas após do encontro:

"O Presidente da República de República decidiu, ouvidos os partidos políticos com representação parlamentar, indicar o Dr. António Costa para primeiro-ministro"

Na nota, é referido que Cavaco Silva "tomou nota" dos esclarecimentos do líder do PS sobre a estabilidade e durabilidade do seu executivo e que a continuação em funções do atual Governo em gestão, de Passos Coelho, "não corresponderia ao interesse nacional".

António Costa saiu do Palácio de Belém ao meio-dia, sem fazer declarações aos jornalistas. O secretário-geral do PS tinha chegado quando eram precisamente 11:00. Na mão, Costa levava apenas uma pasta com alguns papéis.

As respostas aos pedidos de esclarecimento do Presidente da República, pedido ontem noutra reunião, já tinham sido entregues em Belém, ainda na segunda-feira ao final da tarde.

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram dvulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.