sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Costa convoca Concertação Social para aumentar salário mínimo até 600€

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou hoje que convocou para a próxima semana uma reunião da concertação social para discutir o aumento progressivo do salário mínimo nacional até atingir 600 euros no final da legislatura.

Lusa

Lusa

MIGUEL A. LOPES

António Costa falava na Assembleia da República, na sessão de abertura da discussão do programa do XXI Governo Constitucional, que termina na quinta-feira.

"Hoje mesmo convoquei para a próxima semana uma reunião da Comissão Permanente de Concertação Social para, entre outras matérias, apreciar a proposta do Governo do aumento do salário mínimo nacional para 600 euros mensais ao longo da Legislatura", afirmou o líder do executivo.

Na sua intervenção, o líder do executivo frisou que a concertação social é "o espaço decisivo para a afirmação de uma cidadania plena e para a defesa do moderno estado social".

"Seja no plano da concertação estratégica, seja no plano de acordos sectoriais específicos, o Governo trabalhará em estreita articulação com a Comissão Permanente de Concertação Social, assim como dinamizará o diálogo social desbloqueando a contratação coletiva. O Governo não decidirá sem o contributo indispensável da concertação em todos os domínios em que ela é relevante, mas também nunca se escudará na concertação para deixar de decidir ou protelar as decisões que se imponham", advertiu o primeiro-ministro.

O primeiro-ministro pegou nos últimos dados do Instituto Nacional de Estatística para sustentar a tese de que a economia do país se encontra em estagnação.

"Estes dados confirmam o pleno sentido do triplo desígnio do tempo novo que queremos iniciar: Mais crescimento, melhor emprego, maior igualdade. O relançamento do crescimento económico exige a melhoria do rendimento disponível das famílias", defendeu.

Depois, o líder do executivo referiu que já se encontram "em apreciação parlamentar iniciativas sobre a reposição integral em 2016 dos vencimentos devidos aos funcionários públicos e a eliminação progressiva da sobretaxa de IRS de modo a iniciar o alívio da asfixia fiscal da classe média".

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.