sicnot

Perfil

Liga Europa

Liga Europa

Liga Europa

Arouca quer levar adeptos à Holanda para a estreia na Liga Europa

(Arquivo)

Lusa

O Arouca está a convidar os adeptos a acompanharem a equipa de futebol na estreia na Liga Europa, na visita ao Heracles, na Holanda, na próxima quinta-feira.

A iniciativa, divulgada hoje nos canais oficiais de informação do clube, inclui viagem de avião do Porto até Munster, alojamento, transporte para o estádio e ainda bilhete para o encontro da primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga Europa.

"Tivemos alguma procura, mas já tínhamos decidido organizar um 'voo charter'. O voo tem a lotação de 95 pessoas, o que contando com a equipa do Arouca e convidados não sobram muitos lugares para adeptos. Mas já temos conhecimento de arouquenses que já comparam viagem pelas low cost ou que vão de carro. Contamos com cerca de 200 adeptos", afirmou o diretor desportivo do clube, em declarações à agência Lusa.

Joel Pinho, que ainda está na Holanda, regressa hoje a Portugal, depois de ter tratado da organização da viagem do clube e dos adeptos, contactando com os agentes locais envolvidos na ação.

A viagem de ida está marcada para quarta-feira, dia 27, e o regresso para o dia seguinte, após o jogo, tendo um custo de 700 euros.


Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.