sicnot

Perfil

Liga Europa

Liga Europa

Liga Europa 2015/2016

Klopp pede jogadores atrevidos para vencer Sevilha na final da Liga Europa

O treinador do Liverpool, Jurgen Klopp, pediu atrevimento e concentração aos seus jogadores para poderem vencer a final da Liga Europa de futebol e igualar o registo de quatro triunfos do Sevilha, atual bicampeão da prova.

PETER POWELL

"Ganhes ou percas, o importante é dar o máximo. Os jogadores devem ser atrevidos, corajosos e estar muito concentrados. O Sevilha é um rival fortíssimo, que defende bem e ataca muito bem", adiantou Klopp, na antevisão da final europeia de quarta-feira.

Klopp, que foi batido pelo Bayern de Munique na final da Liga dos Campeões em 2013, ainda pelo Borussia Dortmund, estreia-se em finais na Liga Europa, logo na primeira época em Liverpool.

O técnico alemão elogiou o treinador rival, caraterizando o futebol espanhol como o mais forte da atualidade: "O meu colega Unai Emery tem feito um trabalho fantástico e tenho imenso respeito por ele. O campeonato espanhol é o melhor do momento. Têm grandes jogadores, grandes treinadores e uma boa formação. Todos os países têm que melhorar para se conseguirem aproximar."

Klopp elogiou ainda o fervor dos adeptos do Liverpool, que cumprirão a sua quota de ocupação do estádio St Jakob-Park, em Basileia, para ajudar os reds a alcançar o quarto triunfo na segunda prova mais relevante de clubes, igualando precisamente o Sevilha, o recordista.

Unai Emery relevou a possibilidade de o Sevilha chegar ao feito inédito de somar a terceira vitória consecutiva da Liga Europa, não deixando de elogiar o Liverpool.

"Para fazer história é preciso viver no presente. Exigimos muito de nós e queremos crescer e evoluir no futebol. Para ganharmos ao Liverpool teremos que ser perfeitos. Quando estamos focados não costumamos falhar", asseverou Emery, no clube que tem dominado a última década desta competição, com dois bis - 2006 e 2007, na ainda apelidada de Taça UEFA, e 2014 e 2015.

As equipas cumpriram o habitual treino de adaptação ao relvado e procuram, além de igualar ou ampliar o recorde da prova, o apuramento para a Liga dos Campeões, já que ambas ficaram fora do acesso à mesma via campeonato.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.