sicnot

Perfil

Marcelo sucede a Cavaco

Marcelo sucede a Cavaco

Marcelo sucede a Cavaco

Ramalho Eanes diz que Marcelo pode contar com a sua "colaboração e lealdade"

O antigo Presidente da República António Ramalho Eanes, afirmou hoje que Marcelo Rebelo de Sousa pode contar com a sua "colaboração e lealdade", mostrando-se convicto que o atual chefe de Estado irá ajudar Portugal a ser mais feliz.

"O senhor Presidente eleito a partir de hoje é o meu Presidente, pode contar com toda a minha colaboração e lealdade, e desejo-lhe as melhores felicidades pessoais", afirmou o antigo chefe de Estado à saída do Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa.

Interpelado pelos jornalistas à saída do local onde decorreu a cerimónia de condecoração com o Grande Colar da Ordem da Liberdade do Presidente cessante, Cavaco Silva, pelo chefe de Estado hoje empossado, Marcelo Rebelo de Sousa, Ramalho Eanes começou por afirmar que "por princípio estabelecido há já muito tempo" escusa-se a "fazer observações, comentários, sobre cerimónias, sobre os discursos, sobre a ação dos Presidentes" que o sucederam.

Apesar disso, o antigo Presidente da República disse estar "convencido que [...] ele vai ajudar o país a ser mais feliz e os portugueses a serem mais prósperos".

Eleito a 24 de janeiro com 52% dos votos, Marcelo Rebelo de Sousa, 67 anos, tomou hoje posse como Presidente da República, pelas 10:10, depois de jurar cumprir e fazer cumprir a Constituição da República Portuguesa.

No seu primeiro discurso, o novo chefe de Estado prometeu ser o Presidente de "todos sem exceção", do princípio ao fim do mandato, sem querer ser mais do que a Constituição permite ou aceitar menos do que a Lei Fundamental impõe.

Marcelo reconheceu que Portugal tem pela frente "tempos e desafios difíceis", considerando que é necessário sair do clima de crise e ir mais longe na qualidade da educação, saúde, justiça e do próprio sistema político.

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.