sicnot

Perfil

Maria Barroso 1925-2015

Maria Barroso 1925-2015

Maria Barroso

Presidente lembra Maria Barroso "mulher de cultura e de causas"

O Presidente da República enviou hoje uma mensagem de condolências à família de Maria Barroso, que recorda como "uma mulher de cultura e de causas", bem como "uma lutadora pela liberdade e democracia".

JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Maria de Jesus Barroso morreu hoje, aos 90 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internada em estado grave desde 26 de junho.

"Mulher de cultura e de causas, Maria de Jesus Barroso distinguiu-se, ao longo de décadas, como uma lutadora pela liberdade e pela democracia, antes e depois do 25 de Abril", sublinha Aníbal Cavaco Silva, na mensagem divulgada no site da Presidência da República.

O chefe de Estado recorda que Maria Barroso dedicou a sua vida "à cultura portuguesa, ao ensino, à pedagogia e às causas sociais a que esteve ligada, fazendo-o com exemplar sentido cívico, animada pela densidade da sua fé e pela convicção inabalável nos valores da dignidade da pessoa humana, da justiça social e do serviço ao bem comum".

"O amor ao seu país e a dedicação à família constituíram referências para todos os Portugueses, que no dia de hoje lamentam profundamente a perda de uma personalidade exemplar do nosso tempo", refere ainda a mensagem de condolências, enviada pelo Presidente da República à família em seu nome e da sua mulher, Maria Cavaco Silva.

Lusa

  • Morreu Maria Barroso

    Maria Barroso

    Maria Barroso, antiga primeira-dama e fundadora do PS, morreu esta madrugada. Estava internada no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, há mais de uma semana em coma profundo, após uma queda. Tinha 90 anos.

  • Maria Barroso, de atriz a primeira-dama
    3:07

    Maria Barroso

    Fez 90 anos dia 2 de maio. Conheceu a política antes de conhecer Mário Soares. Em jovem sonhou ser atriz e partilhou os palcos com Amélia Rey Colaço. Declamou poemas revolucionários contra os estado novo e por isso foi proibida de representar. Casou com Mário Soares por procuração e ajudou a fundar o PS. Maria Barroso disse um dia no programa "Alta Definição" da SIC que não teme a morte.

  • Atentados na Catalunha estão relacionados, 14 mortos

    Ataque em Barcelona

    Uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Espanha, depois do atentado de ontem que fez 13 mortos em Barcelona. As operações de busca centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "Nas Ramblas, é como se nada tivesse acontecido"
    1:35

    Ataque em Barcelona

    Um atentado terrorista em Barcelona matou 13 pessoas e feriu cerca de 100. O ataque aconteceu na zona das Ramblas, quando uma carrinha avançou sobre quem circulava nessa grande via no centro da capital da Catalunha. O repórter Emanuel Nunes está em Barcelona e deu conta do regresso à normalidade nas Ramblas, logo às primeiras horas da manhã.

  • Barcelona abalada pelo terrorismo
    1:03
  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Médicos e ministro da Saúde voltam hoje às negociações

    País

    O Ministério da Saúde deverá apresentar uma proposta que poderá ser decisiva para a convocação ou não de uma nova greve. O Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos tinham anunciado, no dia 11 de agosto, que vão realizar uma greve de dois dias na primeira semana de outubro, se a nova proposta negocial não levar em conta o que reivindicam.