sicnot

Perfil

Mário Soares 1924-2017

Mário Soares 1924-2017

Mário Soares 1924-2017

Embaixador dos EUA lamenta morte da "figura extraordinária"

FERNANDO RICARDO

O embaixador dos Estados Unidos em Portugal, Robert Sherman, lamentou este sábado a morte do antigo Presidente da República Mário Soares, lembrando-o como "uma figura extraordinária" que "lutou pela democracia e Direitos Humanos".


"Mário Soares foi uma figura extraordinária que constantemente pôs o seu país em primeiro lugar e lutou pela democracia e pelos Direitos Humanos", pode ler-se na mensagem enviada às redações pelo embaixador Robert Sherman.

O embaixador norte-americano lembra que os livros de história dizem como, "armado apenas com uma licenciatura em direito e o seu forte empenho na liberdade, [Mário Soares] acabou por se tornar um líder entre aqueles que se opunham ao regime autoritário de António Salazar, e foi exilado pelos seus esforços neste sentido".

Robert Sherman recorda que assim que Mário Soares pôde voltar a Portugal, depois da Revolução dos Cravos, em 1974, "trabalhou de forma incessante para evitar que Portugal caísse na esfera soviética e num regime totalitário".

O embaixador diz ainda que o ex-presidente passou "inúmeras horas" na casa que é agora a sua residência a colaborar com o então embaixador norte-americano Frank Carlucci "para promover a democracia e os Direitos Humanos em Portugal".

"O trabalho que estes dois grandes homens fizeram mudou o rumo da história e preparou o terreno para as atuais relações EUA-Portugal. A relação que criaram continua a ser fortalecida, e os laços entre as nossas duas grandes nações continuam a intensificar-se", pode ler-se.

Robert Sherman define Mário Soares como um "fervoroso defensor dos Direitos Humanos e da democracia", frisando que vai recordar para sempre as conversas entre ambos "com muita estima".

Mário Soares morreu hoje, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internado há 26 dias, desde 13 de dezembro.

O Governo decretou três dias de luto nacional, a partir de segunda-feira.

Soares desempenhou os mais altos cargos no país e a sua vida confunde-se com a própria história da democracia portuguesa: combateu a ditadura, foi fundador do PS e Presidente da República.

Nascido a 07 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares foi fundador e primeiro líder do PS, e ministro dos Negócios Estrangeiros após a revolução do 25 de Abril de 1974.

Primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, foi Soares a pedir a adesão à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e a assinar o respetivo tratado, em 1985. Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.

Lusa

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.