sicnot

Perfil

Mário Soares 1924-2017

Mário Soares 1924-2017

Mário Soares 1924-2017

Juventude Socialista recorda "humanista que dedicou vida a Portugal"

© Reuters Photographer / Reuter

A Juventude Socialista (JS) lamentou este sábado profundamente a morte de Mário Soares um "humanista que dedicou a vida a Portugal e aos portugueses" e cujo legado político e cívico "jamais será esquecido".

Em comunicado, o secretário-geral da JS, Ivan Gonçalves, afirma que Soares "inspira, ainda hoje, milhares de jovens com diferentes ideias políticas a seguirem o seu exemplo de vida, marcada pela luta por uma sociedade mais justa e democrática".

Ivan Gonçalves recorda Mário Soares como "um resistente antifascista e uma figura incontornável da integração europeia" de Portugal.

O responsável da JS destaca o "sentido crítico perante as prioridades que hoje ensombram o projeto europeu, prioridades essas que atentam contra algumas das pedras basilares do socialismo democrático -- defendidas também pela Juventude Socialista -- como a construção de uma sociedade menos desigual, mais solidária e atenta aos anseios e desafios das novas gerações".

Os jovens socialistas lembram a intervenção de Mário Soares no XIX Congresso Nacional da Juventude Socialista, em 2014, aquando da sua distinção como Militante de Honra, onde referiu que gostaria de ser sempre recordado como "um Camarada para todas as lutas", antes de qualquer outra condição.

"A elevação e o profundo empenho com que sempre exerceu todos os mandatos que lhe foram confiados (...) deixaram um inegável legado político e social pelo qual Mário Soares merecerá sempre todo o carinho e admiração dos jovens socialistas portugueses", de acordo com o mesmo comunicado.

Mário Soares morreu hoje, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internado há 26 dias, desde 13 de dezembro.

O Governo decretou três dias de luto nacional, a partir de segunda-feira.

Soares desempenhou os mais altos cargos no país e a sua vida confunde-se com a própria história da democracia portuguesa: combateu a ditadura, foi fundador do PS e Presidente da República.

Nascido a 07 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares foi fundador e primeiro líder do PS, e ministro dos Negócios Estrangeiros após a revolução do 25 de Abril de 1974.

Primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, foi Soares a pedir a adesão à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e a assinar o respetivo tratado, em 1985. Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.

Lusa

  • Comissão Europeia quer proibir o tabaco na praia

    País

    A Comissão Europeia quer proibir o tabaco em todos os espaços públicos, incluindo praias, parques infantis e equipamentos desportivos. A proposta foi apresentada pelo comissário da Saúde e Segurança Alimentar que, além de querer reduzir a dependência do tabaco, também sugere que todos os estados membros apliquem uma idade mínima para a venda de tabaco.

  • Viaduto de Alcântara condicionado
    1:36

    País

    O viaduto de Alcântara, em Lisboa, continua com o trânsito condicionado mas apenas sobre o tabuleiro e no sentido Alcântara Terra - Alcântara Mar. A circulação só será reposta depois de uma nova vistoria, ainda sem data marcada.

  • "Nós aceitamos sempre os resultados das eleições"
    1:07

    País

    Durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa, o líder dos sociais-democratas garantiu que o partido tem fair-play mas disse que está nas eleições autárquicas para ganhar. Pedro Passos Coelho acrescentou ainda que o PSD aceita sempre os resultados das eleições.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27
  • Data e local da canonização serão anunciados a 20 de abril
    2:23

    País

    O Papa aprovou esta quinta-feira o decreto que valida o milagre atribuído a Francisco e Jacinta. A data e local da cerimónia da canonização dos pastorinhos serão anunciados a 20 de abril, na reunião de cardeais no Vaticano. O Bispo de Leiria/Fátima acredita que a cerimónia possa ser a 13 de maio, durante a visita do Papa a Fátima.