sicnot

Perfil

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Atirador de Orlando terá jurado lealdade ao Daesh antes do assassínio

O autor do massacre de Orlando, na Florida, terá jurado lealdade ao Daesh numa chamada telefónica feita para o número de emergência 911 imediatamente antes do crime, noticiaram as televisões norte-americanas.

Phelan M. Ebenhack

Segundo a estação televisiva NBC, que cita fontes policiais, o atirador acusado do massacre de pelo menos 50 pessoas, na madrugada de hoje, num clube noturno gay de Orlando, telefonou alguns instantes antes do crime para o número 911 para anunciar a sua lealdade ao líder do Daesh.

A CNN avança a mesma notícia, citando um responsável norte-americano que explicou que "o FBI (polícia federal norte-americana) de imediato acreditou tratar-se de um ataque islamita por causa dessa chamada telefónica" e porque eram já conhecidas do FBI as suas "simpatias islamitas".

"Sabemos que ele tinha sido alvo de investigação no passado. Ele não estava no centro das investigações, mas era suspeito de ter ligações com radicais islâmicos e simpatias com a ideologia radical islâmica", precisou o responsável na CNN.

Horas antes, o pai do autor do massacre, Omar Mateen, identificado como um cidadão norte-americano de origem afegã com cerca de 20 anos, afirmara que o crime "não tem nada que ver com religião", mas possivelmente com o facto de o filho ter visto "dois homens a beijar-se em frente da sua mulher e do seu filho e ter ficado muito zangado".

"Não sabíamos de nada. Estamos chocados como todo o país", disse o pai, Mir Seddique, pedindo desculpas em nome da sua família pelo ato do filho, o mais grave assassínio em massa da história dos Estados Unidos.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.