sicnot

Perfil

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Torre Eiffel iluminada para homenagear vítimas de Orlando

A Torre Eiffel, em Paris, vai hoje à noite ser iluminada com as cores do arco-íris, símbolo da comunidade gay, lésbica e transgénero, para homenagear as vítimas do tiroteio em Orlando, em que morreram 50 pessoas.

© Jacky Naegelen / Reuters

Num primeiro momento, a presidente da câmara de Paris, Anne Hidalgo, anunciou que a iluminação seria feita com as cores dos Estados Unidos, no início de uma reunião camarária em que foi respeitado um minuto de silêncio em memória das vítimas do que é considerado o maior ataque terrorista na história dos Estados Unidos desde o 11 de setembro de 2001.

Anne Hidalgo expressou a sua "compaixão, solidariedade e afeto" ao povo americano e à comunidade gay, afetados pelo tiroteio, em Orlando, Flórida, nos Estados Unidos.

Hoje de manhã, Anne Hidalgo anunciou igualmente que vão ser colocadas bandeiras com as cores do arco-íris e dos Estados Unidos nos edifícios oficiais da câmara.

Pelo menos 50 pessoas morreram e 53 ficaram feridas na madrugada de sábado quando um homem entrou numa discoteca gay de Orlando, na Florida, e começou a disparar indiscriminadamente, antes de ser abatido pela polícia.

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.