sicnot

Perfil

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Lisboa condena ataque em Orlando e manifesta repúdio por homofobia

A Câmara de Lisboa aprovou hoje, por unanimidade, um voto de pesar pelas vítimas mortais do ataque numa discoteca gay em Orlando, nos Estados Unidos da América, e mostrou "repúdio absoluto" por crimes de homofobia.

© JAMES LAWLER DUGGAN / Reuters

"A Câmara Municipal de Lisboa manifesta o seu profundo pesar pelas vítimas do recente atentado de Orlando, dirigindo as sentidas condolências aos familiares, amigos, à cidade de Orlando e ao povo americano", lê-se no documento aprovado em reunião camarária privada.

Através deste voto de pesar, a que a agência Lusa teve acesso, o município da capital portuguesa "manifesta também o seu repúdio absoluto pela natureza do crime: a homofobia".

"Os crimes de ódio contra homossexuais são crimes contra a liberdade e a igualdade. São crimes contra todos os que fazem destes valores os pilares da sociedade livre e democrática", salienta o documento.

Na madrugada do passado domingo, um homem identificado como Omar Mateen, cidadão norte-americano de origem afegã, entrou na discoteca Pulse, em Orlando, na Florida, e abriu fogo contra os clientes, causando 49 mortos e 53 feridos.

O movimento extremista Daesh reclamou a iniciativa do tiroteio, dizendo numa informação transmitida pela rádio que foi realizado por "um dos soldados do califado".

O FBI está a investigar o caso como um ato de terrorismo.

O ataque foi considerado o pior nos Estados Unidos desde o 11 de setembro de 2001.

Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".