sicnot

Perfil

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Lisboa condena ataque em Orlando e manifesta repúdio por homofobia

A Câmara de Lisboa aprovou hoje, por unanimidade, um voto de pesar pelas vítimas mortais do ataque numa discoteca gay em Orlando, nos Estados Unidos da América, e mostrou "repúdio absoluto" por crimes de homofobia.

© JAMES LAWLER DUGGAN / Reuters

"A Câmara Municipal de Lisboa manifesta o seu profundo pesar pelas vítimas do recente atentado de Orlando, dirigindo as sentidas condolências aos familiares, amigos, à cidade de Orlando e ao povo americano", lê-se no documento aprovado em reunião camarária privada.

Através deste voto de pesar, a que a agência Lusa teve acesso, o município da capital portuguesa "manifesta também o seu repúdio absoluto pela natureza do crime: a homofobia".

"Os crimes de ódio contra homossexuais são crimes contra a liberdade e a igualdade. São crimes contra todos os que fazem destes valores os pilares da sociedade livre e democrática", salienta o documento.

Na madrugada do passado domingo, um homem identificado como Omar Mateen, cidadão norte-americano de origem afegã, entrou na discoteca Pulse, em Orlando, na Florida, e abriu fogo contra os clientes, causando 49 mortos e 53 feridos.

O movimento extremista Daesh reclamou a iniciativa do tiroteio, dizendo numa informação transmitida pela rádio que foi realizado por "um dos soldados do califado".

O FBI está a investigar o caso como um ato de terrorismo.

O ataque foi considerado o pior nos Estados Unidos desde o 11 de setembro de 2001.

Lusa

  • "É preciso despartidarizar o sistema de Proteção Civil", diz Duarte Caldeira
    2:47
  • Homem morreu ao tentar salvar animais das chamas
    2:30
  • Arcebispo de Braga pede responsabilidades pelos incêndios
    1:40

    País

    Braga também sofreu um dos mais violentos incêndios dos últimos anos. O fogo descontrolado atravessou várias freguesias e destruiu duas empresas. A igreja, pela voz do arcebispo de Braga, pede ação e o apuramento de responsabilidades, face a esta calamidade.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06