sicnot

Perfil

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Atirador de Orlando mostrou "tranquilidade assustadora" a falar com o FBI

O autor do massacre na discoteca de Orlando, Florida, afirmou ser um "soldado islâmico" e mostrou uma "tranquilidade assustadora" nas conversas com a polícia na noite do ataque, referiu hoje a polícia federal norte-americana (FBI).

Omar Mateen

Omar Mateen

ap

"Estou em Orlando e fui eu que disparei", afirmou Omar Mateen às 02:35 locais, reivindicando o ataque, que provocou 49 mortos, segundo a sequência dos eventos divulgados pelo FBI.

Omar Mateen manteve três conversas com um negociador da polícia. A última, com a duração de três minutos, ocorreu às 03:24 locais, segundo o FBI.

O assassino apresentou-se ao telefone como um "soldado islâmico" e disse ser leal ao líder do Daesh, Abu Bakr al-Baghdadi.

"O assassino fez as declarações de uma forma tranquila e assustadora", afirmou, em conferência de imprensa, o agente do FBI Ron Hooper.

Omar Mateen exigiu ao negociador do FBI que os Estados Unidos parassem de bombardear o Iraque e a Síria, sublinhando que existiam carros armadilhados que podiam explodir caso a polícia fizesse "algo estúpido".

Omar Mateen também disse que estava a utilizar um colete com explosivos como os "utilizados em França" e advertiu que nos próximo dias iriam ocorrer mais ataques.

Com Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.