sicnot

Perfil

Tragédia no Meco

Tragédia no Meco

Tragédia no Meco

João Gouveia não vai a julgamento no caso das mortes no Meco

O juiz de instrução do Tribunal de Setúbal anunciou hoje que o “dux” da Universidade Lusófona,  João  Gouveia, não vai a julgamento no caso em que morreram seis jovens universitários na praia do Meco, a 15 de dezembro de 2013. O juiz aceitou a tese de acidente, não viu qualquer indício de crime e decidiu pelo arquivamento do caso das mortes no Meco.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

REUTERS

Depois do debate instrutório, em que foram ouvidos peritos do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e do Instituto de Medicina Legal (IML), a advogada de defesa pediu que fosse proferido um despacho de não pronúncia, isto é, que o caso não fosse julgado.

 

As famílias exigiam que João Gouveia respondesse pela morte das seis vítimas, mas a defesa garante que não surgiu qualquer elemento novo que justificasse a ida a julgamento.

 

O advogado das famílias garantia hoje que independentemente da decisão do juiz, o processo não ficará por aqui.

 


  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.