sicnot

Perfil

Rumo ao Mundial 2018

Rumo ao Mundial 2018

Rumo ao Mundial 2018

Portugal tenta primeiro triunfo na qualificação frente a Andorra

MARIO CRUZ/LUSA

A seleção nacional procura hoje alcançar, frente à frágil equipa de Andorra, a sua primeira vitória no Grupo B de qualificação para o Mundial 2018. Sem Nani, mas com Cristiano Ronaldo de regresso.

Em Aveiro, o jogador do Real Madrid vai vestir pela primeira vez a camisola lusa desde que Portugal se sagrou campeão europeu, num duelo em que se espera uma goleada, já que Andorra aparece como equipa mais fraca do agrupamento.

Por seu lado, Nani, que capitaneou a seleção lusa na estreia no apuramento na Suíça (derrota por 2-0), é baixa certa devido a lesão e abre lugar no onze a André Silva, que, tudo indica, deverá ser o companheiro de Ronaldo no ataque.

Enquanto Portugal defronta Andorra pela quarta vez, o selecionador Fernando Santos estará a torcer para que a Suíça tropece na sua deslocação à Hungria, embora os magiares tenham protagonizado um dos resultados mais surpreendentes da primeira jornada, ao empatar nas Ilhas Faroé (0-0), onde Portugal vai jogar na segunda-feira.

Com um registo de três derrotas, com 14 golos sofridos e apenas um marcado nos confrontos com Portugal, Andorra vai tentar sair de Aveiro com um resultado 'leve', embora tenha iniciado a qualificação com um desaire mínimo caseiro (1-0) frente à Letónia.

Portugal está a tentar alcançar o quinto apuramento seguido para a fase final de um Mundial e o sétimo de toda a sua história.

O Portugal-Andorra, com mais de 20 mil pessoas esperadas no Estádio Municipal da Aveiro, está agendado para as 19:45 e terá arbitragem do austríaco Oliver Drachta.

Antes do apito inicial, vai ser cumprido um minuto de silêncio em memória do ex-futebolista e ex-treinador Mário Wilson, que morreu na segunda-feira aos 86 anos.

Com Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Míssil lançado do Iémen intercetado perto de Meca

    Mundo

    Um míssil balístico lançado pelos rebeldes xiitas do Iémen foi intercetado, quinta-feira à noite, perto de Meca, na Arábia Saudita, a um mês da peregrinação muçulmana anual do hajj, anunciou a coligação árabe que intervém no Iémen.