Rumo ao Mundial 2018

São Petersburgo pondera recriar casas para recolher alcoolizados

Stringer .

O governador São Petersburgo, cidade russa que será palco de vários jogos do Mundial de 2018 de futebol, anunciou esta segunda-feira a intenção de recriar casas típicas da era soviética para recolher pessoas em estado de embriaguez encontradas nas ruas.

Gueorgui Poltavchenko foi incumbido de "criar um mecanismo legal que crie esses locais, que possam fuincional não com os hospitais, mas de forma independente", informou a administração local.

"Precisamos criar instituições independentes para onde possamos trazer essas pessoas (...) Vamos encontrar recursos para isso", disse Poltavchenko, citado pela imprensa russa.

O governante respondia a uma observação de um procurador-adjunto de São Petersburgo durante uma reunião sobre o tráfico de álcool, já que o alcoolismo é encarado como "um problema ainda mais atual nas vésperas do Campeonato do Mundo".

Estas casas eram numerosas nas grandes cidades durante a era soviética e tinham má reputação, por causa dos maus tratos infligidos aos alcoolizados que para lá eram levados: em teoria, receberiam ajuda médica e poderiam passar lá a noite até ficarem sóbrios.

Após a queda da União Soviética, foram fechando, progressivamente, até terem desaparecido por completo em 2011. De acordo com a lei vigente, as pessoas que estão embriagadas nas ruas devem ser transportadas para o hospital ou para uma esquadra da polícia.

O Mundial de 2018 decorre entre 14 de junho e 15 de julho, e São Petersburgo recebe sete jogos, incluindo uma meia-final e o jogo de atribuição do terceiro e do quarto lugares.

Lusa

  • "A bebedeira passa, o resto não!"
    2:48

    País

    O INEM socorreu mais de mil menores em coma alcoólico, no ano passado. Por isso, os adolescentes são o alvo da campanha lançada esta sexta-feira pelo Governo: "A bebedeira passa, o resto não!"

  • Sabe que pode estar a pagar 100€ a mais na fatura do gás?
    2:29

    Economia

    A maior parte das empresas fornecedoras de gás continua a cobrar aos clientes a taxa de ocupação do subsolo ao clientes, apesar da lei dizer que deve ser paga pelas empresas desde janeiro de 2017. Cada Câmara Municipal cobra o que entende e há autarquias que não cobram nada. Em alguns casos podemos estar a falar de mais de 8 euros por mês, ou seja, mais de 100 euros por ano.

  • As técnicas e o currículo polémico do Dr. Bumbum
    2:10

    Mundo

    Uma mulher morreu após uma operação aos glúteos, feita na casa de um cirurgião plástico conhecido no Brasil por Dr. Bumbum. Depois de quatro dias em fuga, o homem entregou-se às autoridades. O médico operava as mulheres em casa e no currículo tem um curso que não acabou e pós-graduações que não são reconhecidas.

  • Ir ao Douro e à Nazaré
    25:57
  • O convite que causou surpresa até na Casa Branca
    2:33