Rumo ao Mundial 2018

Rússia levanta interdição ao jornalista alemão que revelou doping

O interior do Estádio de Kaliningrado, um dos estádios que vai receber o Mundial de Futebol de 2018, na Rússia.

Sergei Karpukhin

As autoridades russas levantaram esta terça-feira a interdição de entrar no país para o Mundial2018 de futebol, que tinha sido imposta ao jornalista alemão Hajo Seppelt, responsável por revelar o escândalo de doping generalizado na Rússia.

"Fomos informados pelas autoridades russas que Hajo Seppelt (jornalista do canal regional publico alemão ARD) vai poder permanecer na Rússia durante o Mundial 2018", informou o ministro alemão da Justiça, Heiko Maas, na sua rede social Twitter.

O jornalista Hajo Seppelt, autor das revelações sobre o escândalo de doping generalizado na Rússia, tinha visto recusado o acesso ao país por ocasião do Mundial2018, pelo seu nome integrar uma lista de "pessoas indesejáveis" na Rússia.

Berlim protestou veemente contra a interdição imposta ao jornalista e apelou ao presidente Vladimir Putin da decisão, considerando que as autoridades russas estavam a cometer um sério atentado à liberdade de imprensa e de opinião.

A Alemanha tinha também recorrido à FIFA, entidade que emitiu a acreditação do jornalista, da interdição imposta a Hajo Seppelt pelas autoridades russas, que lhe negaram o visto de permanência no país.
Na sequência da emissão em 2014 do documentário de Hajo Seppelt "Doping confidencial: como a Rússia fabrica vencedores", a Agência Mundial

Antidopagem (AMA) decidiu criar uma primeira comissão de inquérito.

O campeonato do mundo de futebol da Rússia disputa-se entre 14 de junho e 15 de julho.

Lusa

  • Maior avião de passageiros do mundo aterra hoje em Portugal
    1:09
  • Cristas ataca Costa com "logro" da saúde e o "pântano" de Tancos
    1:39

    País

    A líder do CDS diz que o Governo de António Costa está esgotado e que o país está pior agora do que no período da troika. Acusações feitas no encerramento do congresso do partido na Madeira, onde Assunção Cristas afirmou que quer voltar a eleger um deputado pela região autónoma.