sicnot

Perfil

OE 2015

OE 2015

Orçamento do Estado 2015

DGO divulga hoje execução orçamental do 1º trimestre

A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulga hoje a síntese de execução orçamental em contas públicas do primeiro trimestre de 2015, ano em que o défice terá de baixar para os 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) em contabilidade nacional.

Reuters

Reuters

(Reuters/ Arquivo)

Até fevereiro, o saldo das administrações públicas registou um défice de 239,8 milhões de euros, incluindo as Entidades Públicas Reclassificadas (EPR), como a TAP, a Carris, a CP, vários hospitais e fundações, entre outras, que este ano foram integradas no perímetro das administrações públicas, no seguimento da aplicação do novo Sistema Europeu de Contas (SEC2010).

No universo comparável, ou seja, excluindo as EPR, o défice até fevereiro foi de 376,7 milhões de euros, um saldo negativo superior em quase 350 milhões no mesmo período de 2014, que registou um défice de apenas 26,9 milhões de euros.

Já o saldo primário das administrações públicas, que exclui os encargos com os juros da dívida pública, até fevereiro, foi positivo, fixando-se em 929,7 milhões de euros, sendo que, no universo comparável, foi inferior, atingindo 772,8 milhões de euros (menos 19,8 milhões do que nos primeiros dois meses de 2014).

No que diz respeito aos impostos, o Estado arrecadou 6.365 milhões de euros até fevereiro deste ano, mais 132 milhões do que no período homólogo, sobretudo devido ao aumento da receita dos impostos indiretos.

Os números divulgados pela DGO são apresentados em contabilidade pública, ou seja, têm em conta o registo da entrada e saída de fluxos de caixa, e a meta do défice fixada é apurada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) em contas nacionais, a ótica dos compromissos, que é a que conta para Bruxelas.

Lusa

  • A Catalunha "está farta da prepotência e dos abusos do governo"
    0:30
  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • Uber perde licença para operar em Londres

    Economia

    O regulador de transporte de Londres decidiu hoje que vai retirar à Uber a licença para operar na capital britânica. A proibição entra em vigor no final deste mês e vai afetar 40 mil motoristas da empresa multinacional norte-americana.

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Óculos inteligentes permitem controlar telemóvel com o nariz
    1:05
  • Família Portugal Ramos
    15:01