sicnot

Perfil

Operação Fénix

Arguido na Operação Fénix diz que gás era da mulher e tacos de basebol dos filhos

HUGO DELGADO

Um arguido na "Operação Fénix" disse esta quinta-feira em tribunal que o aerossol de gás pimenta que lhe foi apreendido na investigação tinha sido oferecido à mulher por um tio. Disse ainda que os dois tacos de basebol também apreendidos tinham sido oferecidos por ele aos filhos, que na altura tinham oito e um anos.

"Achei estranho porque levaram os tacos mas não levaram a bola", referiu. Garantiu que os tacos eram "pequeninos, para crianças".

Quanto ao bastão extensível igualmente aprendido, o arguido alegou que tinha sido encontrado numa casa de alterne e que acabou por ficar com ele.

A investigação apreendeu ainda 510 euros, mas o arguido disse que "normalmente" andava com aquela quantia, até porque "emprestava" dinheiro a vigilantes que estivessem em dificuldades financeiras.

A "Operação Fénix", processo que está a ser julgado em Guimarães, relaciona-se com a utilização ilegal de seguranças privados.

Os arguidos respondem por crimes de associação criminosa, exercício ilícito da atividade de segurança privada, extorsão, coação, ofensa à integridade física qualificada, ofensas à integridade física agravadas pelo resultado morte, tráfico, posse de arma proibida e favorecimento pessoal.

A lista de arguidos integra a empresa SPDE - Segurança Privada e Vigilância em Eventos, acusada de um crime de associação criminosa e outro de exercício ilícito de atividade de segurança privada.

Para a acusação, ficou indiciado que este grupo se dedicava às chamadas "cobranças difíceis", exigindo, através da violência física e/ou de ameaças, o pagamento de alegadas dívidas.

O arguido ouvido esta quinta-feira em tribunal funcionaria como uma espécie de "intermediário" da SPDE, colocando vigilantes daquela empresa de Matosinhos em estabelecimentos de diversão noturna na zona da Grande Lisboa.

Além de posse de arma ilegal, o arguido está ainda acusado de associação criminosa, extorsão, exercício ilícito de atividade de segurança privada e coação.

Crimes que o arguido tentou desmontar, nomeadamente quando disse que, num dos episódios da acusação em que é acusado de ameaçar um alegado devedor, apenas lhe deu "um puxão de orelhas".

Noutra ocasião, foi apanhado nas escutas telefónicas a defender que o havia a fazer era "cortar a cabeça" a uma determinada pessoa, mas o arguido alegou que eram apenas "desabafos".

A "Operação Fénix" tem 54 arguidos, entre os quais o presidente do Futebol Clube do Porto, Pinto da Costa, e o ex-administrador da SAD portista, Antero Henrique.

O principal arguido é Eduardo Silva, sócio-gerente da SPDE, que está acusado de 22 crimes, entre associação criminosa, exercício ilícito de atividade de segurança privada, favorecimento pessoal e detenção de arma proibida.

Lusa

  • As primeiras reações à morte de Chester Bennington

    Cultura

    Chester Bennington, vocalista da banda de metal alternativo Linkin Park, morreu esta quinta-feira em casa em Palos Verdes Estates, no estado da Califórnia, nos EUA. Várias celebridades já reagiram à morte do músico de 41 anos. Segundo o TMZ, o cantor da banda norte-americana suicidou-se.

  • O perfil do novo herói do surf português
    3:43
  • O que resta do navio de salvamento mais famoso de Portugal?
    15:26
  • O. J. Simpson vai sair em liberdade condicional

    Mundo

    A antiga estrela de futebol americano O. J. Simpson vai sair em liberdade condicional, depois de ter cumprido nove anos de prisão num estabelecimento prisional do estado do Nevada, nos Estados Unidos.

  • Filho do leão Cecil também foi abatido por um caçador

    Mundo

    Xanda pode ter tido o mesmo fim que o seu pai, o leão Cecil, que em 2015 foi abatido por um caçador, no Zimbabué. Na altura, a morte de Cecil tomou proporções inéditas, chegando uma imagem do leão a ser projetada na fachada do Empire State Building. Agora, Xanda terá sido abatido a tiro por um caçador de troféus.