sicnot

Perfil

Operação Lex

Rui Rangel e Fátima Galante ouvidos no Supremo

Rui Rangel e Fátima Galante ouvidos no Supremo

Estão a ser ouvidos no Supremo Tribunal de Justiça os juízes Rui Rangel e Fátima Galante. Serão confrontados com os indícios recolhidos até agora pela investigação da Operação Lex. À entrada do tribunal, o juiz e principal arguido disse apenas sentir-se bem. 

  • Rui Rangel e Fátima Galante começam a ser ouvidos hoje

    Operação Lex

    O início da audição aos juízes desembargadores Rui Rangel e Fátima Galante, arguidos no âmbito da Operação Lex, está marcado para hoje, no Supremo Tribunal de Justiça, a funcionar provisoriamente noutras instalações em Lisboa. Em causa está a suspeita de crimes de corrupção, recebimento indevido de vantagem, branqueamento de capitais, tráfico de influências e fraude fiscal.

  • Cinco arguidos da operação Lex com termo de identidade e residência
    1:14

    Operação Lex

    Os cinco detidos no âmbito da operação Lex saíram em liberdade após os interrogatórios no Supremo Tribunal. Ficam com o termo de identidade e residência, assim como com a proibição de contacto entre eles. No entanto, um deles, vai ter de pagar também uma caução de 25 mil euros. Além destes envolvidos, e dos juízes Rui Rangel e Fátima Galante, há ainda outros seis arguidos, cujos interrogatórios não têm para já data marcada.

  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07