sicnot

Perfil

OE 2016

OE 2016

Orçamento do Estado 2016

Quem tem 2 mil euros/mês está numa "posição privilegiada", diz Centeno

Mário Centeno volta a reconhecer que será preciso rigor e exigência para cumprir o Orçamento do Estado de 2016. Numa entrevista ao Diário de Notícias, o ministro das Finanças diz ainda que quem tem um rendimento bruto de dois mil euros mensais está numa posição "altamente privilegiada", mas admite que não pode ser considerado rico.

JOS\303\211 SENA GOUL\303\203O

Centeno considera que, apesar de ser um vencimento acima da mediana, é baixo quando comparado com os salários do resto da Europa:

Se isto faz dessa pessoa uma pessoa rica ou não... no contexto europeu garanto-lhe que não faz. No contexto português, ela de facto está numa posição cimeira da distribuição de rendimentos

Ao DN, o ministro sublinha ainda que a reposição das 35 horas não pode gerar aumento da despesa e deverá ser gradual, para não se correr o risco de ter de reverter a medida.

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida