sicnot

Perfil

OE 2016

OE 2016

Orçamento do Estado 2016

CDS-PP critica proposta "sem credibilidade técnica" nem "autoridade política"

O líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, considerou hoje que a proposta de Orçamento do Estado para 2016 não tem "credibilidade técnica" nem "autoridade política" e manifestou-se convicto de que será apresentado um retificativo.

Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS-PP.

Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS-PP.

"Depois do esboço, depois do Orçamento, depois das erratas, tudo isto pode terminar num retificativo já em abril. Era isso que era importante que ficasse esclarecido. São estes factos que tornam este Orçamento do Estado sem credibilidade técnica e já agora sem autoridade política", afirmou Nuno Magalhães.

Num pedido de esclarecimento ao primeiro-ministro, António Costa, no primeiro dia do debate sobre o OE2016, Nuno Magalhães considerou que a proposta que deu entrada no parlamento "representa o contrário do que o PS andou a dizer na campanha eleitoral, não há um ano, mas há um mês".

Nuno Magalhães disse que depois de "ir a Bruxelas", o Governo inscreveu no OE2016 um aumento da receita fiscal de "1200 milhões de euros" face à receita fiscal prevista para 2015, com aumentos de impostos sobre os combustíveis, sobre as operações de multibanco, e revoga o coeficiente familiar.

Lusa

  • "Até para o ano", a mensagem de Ronaldo para os adeptos do Real Madrid
  • Despenalização da eutanásia votada na terça-feira no Parlamento
    2:04
  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28

    Economia

    Com o crescimento do turismo, que continua a bater recordes, as companhias aéreas querem profissionais para reforçar as rotas com maior procura e oferecer novos destinos. Só a TAP prevê contratar mais 700 pessoas este ano para várias funções, incluindo 300 tripulantes de cabine e 170 pilotos.

  • O bombeiro herói que recebe 267 euros de pensão
    2:36
  • Funcionários dos EUA na Coreia do Norte para preparar cimeira
    2:19