sicnot

Perfil

OE 2016

OE 2016

Orçamento do Estado 2016

Costa reconhece que OE é "exigente" e reitera confiança em Centeno

O primeiro-ministro, António Costa, reconheceu hoje que o Orçamento do Estado (OE) para 2016 é "exigente", mas sublinhou a confiança no ministro das Finanças, Mário Centeno, não como um "ato de fé", antes na "prova provada" dos dados económicos.

LUSA

"É sim um Orçamento exigente, mas se eu não tivesse confiança no ministro das Finanças, não estava aqui hoje a apresentar este Orçamento. E não tenho confiança como um ato de fé, tenho com base na prova provada dos dados da economia", vincou o governante.

Costa falava no parlamento, na abertura do debate na generalidade do OE para 2016, e respondia ao líder parlamentar do PS, Carlos César.

César havia arrancado a sua intervenção destacando o "alto significado político" de a proposta de Orçamento ser aprovada na generalidade com votos favoráveis de PCP e Bloco de Esquerda (BE).

"Como há perto de dois anos o senhor primeiro-ministro dizia e bem, defendemos que o conceito de arco de governação com critério de exclusão à esquerda não poderia ser nunca um fator de enriquecimento e envolvimento na nossa democracia. Rompemos com esse bloqueio histórico", vincou o chefe da bancada socialista.

Posteriormente, Carlos César atacou a direita e a sua exclusão do debate e de propostas: "À direita encontra algum critério de exclusão que não seja a ela imputável?", questionou o socialista, dirigindo-se ao primeiro-ministro.

Depois, António Costa advogou que o "Passismo" - forma de designar a liderança de Pedro Passos Coelho no PSD - "é simplesmente uma nova versão de passadismo, a incapacidade de se libertar do passado".

A ofensiva do chefe do Governo mereceu comentários em tom exaltado de vários deputados do PSD, o que motivou inclusive o Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, a pedir serenidade aos parlamentares.

"O PPD/PSD exclui-se do debate porque já tem vergonha do que pensa e ainda não é capaz de algo de novo em relação ao que pensava", disse ainda António Costa, que não incluiu nestas críticas o CDS-PP.

A proposta de OE para 2016 começa hoje a ser discutida na Assembleia da República, depois de Os Verdes, BE e PCP terem anunciado nos últimos dias que vão votar favoravelmente o documento, na generalidade, enquanto que PSD e CDS vão votar contra.

A proposta de OE2016 seguirá, depois, para apreciação na especialidade, com debate marcado para 10, 14 e 15 de março. A votação final global está marcada para 16 de março.

Lusa

  • O que muda no Orçamento do Estado
    2:18

    Economia

    O Orçamento do Estado foi apresentado pelo Governo como um virar de página nas políticas de austeridade, prometendo uma descida de impostos e a devolução do rendimento às famílias. Entre as várias medidas, do lado do setor público, está a reposição dos salários, que acontecerá trimestralmente, o subsídio de natal em duodécimos, transportes grátis para quem trabalha neste setor, a redução da sobretaxa do IRS ou a descida do IVA na restauração para 13%.

  • Arménio Carlos considera OE 2016 insuficiente
    1:14

    Economia

    Arménio Carlos considera que o Orçamento do Estado é insuficiente mas que poderá ser melhorado. O líder da CGTP defendeu que nem toda a despesa é má e deu exemplos do que entende ser a despesa onde o Estado deve cortar.

  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à UE e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido perdão da dívid como os partidos da esquerda chegaram a defender.

  • Ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00
  • "Têm um verdadeiro amigo na Casa Branca"

    Mundo

    O Presidente norte-americano reafirmou esta sexta-feira o apoio ao direito de porte de armas no país, sublinhando, numa convenção daquele 'lobby', que "o ataque de oito anos às liberdades consagradas no Artigo 2.º [da Constituição]" terminou.

  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre após a cirurgia

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.