sicnot

Perfil

OE 2016

OE 2016

Orçamento do Estado 2016

João Soares defende projeto para a cultura para lá da "análise de contabilidade"

O ministro da Cultura, João Soares, afirmou esta sexta-feira que o setor cultural tem de ser encarado para lá de uma "análise de contabilidade" orçamental, e rejeitou qualquer ideia de fazer "maquilhagens e cosméticas para esconder realidades".

Manuel Almeida

"Isto é um projeto político e cultural, temos de ir para além da análise das 'finançazinhas'", afirmou João Soares, na discussão da proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2016, na Assembleia da República.

Ao longo de quatro horas, João Soares recordou muitas vezes o passado como autarca em Lisboa, para sublinhar capacidades de diálogo com diferentes agentes da cultura, e acabou por citar um romance do escritor Augusto Abelaira -- "Sem teto entre ruínas" --, para descrever a situação de "SOS" na cultura: "É um bocado 'sem teto entre ruínas' que nós nos sentimos. Vamos pôr o teto e vamos reparar as ruínas".

Sobre as verbas alocadas para a Cultura, o ministro afirmou que "não há redução de valores", apesar da nota explicativa disponibilizada na página oficial do Parlamento referir uma redução de 2,9 milhões de euros.

Aos deputados, João Soares sublinhou: "Temos um valor total que anda à volta dos 449 milhões de euros, com a RTP e a agência Lusa. Tirando a RTP e a Lusa, temos 192 milhões de euros para a área da cultura. O que houve em 2015 foram 190 milhões de euros, dos quais foram executados 167 milhões de euros. Há aqui uma subida, no que diz respeito à execução orçamental, que é substancial em relação aos valores orçamentados".

"Se eu gostava de ter mais recursos? Digo que sim e acharia desejável", afirmou, acrescentando depois, que "um por cento do Orçamento do Estado para a cultura é um valor mítico, se não houver capacidade para o executar".

Os partidos de esquerda levantaram algumas reservas em relação à proposta de OE para a Cultura, prometendo propostas de alteração, enquanto o PSD, pela voz do deputado Pedro Pimpão, falou de um orçamento de "grande desilusão", e o CDS-PP questionou a existência do próprio ministério face às verbas inscritas.

Em três meses à frente da Cultura, João Soares disse ter visitado, juntamente com a secretária de Estado, Isabel Botelho Leal, todos os equipamentos espalhados pelo país e que dependem do ministério ou estão em articulação com as autarquias.

Sobre a estratégia para o setor, João Soares disse que "a lógica é valorizar", em diálogo como a administração central e regional. "Queremos é tratar bem daquilo de que dispomos e que é um acervo fabuloso", disse.

Sobre a comunicação social que tutela, João Soares considerou que o "esquema de financiamento da RTP que existe", através da contribuição audiovisual, "é o adequado" e que, no que toca à agência Lusa, espera resolver o novo contrato-programa até junho.

Lusa

  • Fuga de ácido em camião corta EN1 em Gaia

    País

    Uma fuga de gás clorídrico do contentor de um camião que circulava na zona de Pedroso em Vila Nova de Gaia obrigou ao corte do trânsito na EN 1, no sentido Norte/Sul.

    Em desenvolvimento

  • Polémica sobre offshore intensifica guerra de palavras entre PSD e Governo
    2:39
  • DGO divulga hoje execução orçamental de janeiro

    Economia

    A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulga hoje a síntese de execução orçamental em contas públicas de janeiro, sendo que o Governo estima reduzir o défice para 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em contabilidade nacional em 2017.

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.