sicnot

Perfil

OE 2016

OE 2016

Orçamento do Estado 2016

Redução do IVA, 35 horas e CGD podem prejudicar meta de redução do défice

A agência de rating Fitch avisa que a redução do IVA na restauração, o regresso às 35 horas na função pública e a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos podem prejudicar a meta de redução do défice este ano.

A meados de agosto, a Fitch manteve o rating atribuído a Portugal no nível BB+, ainda considerado de lixo, com perspetiva estável, apontando riscos para a meta do Governo de reduzir o défice para 2,2% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2016, nomeadamente devido às incertezas quanto ao impacto das medidas que vão ser implementadas e o crescimento económico fraco, e previu que o défice atinja os 2,7%, acima dos 2,5% previstos por Bruxelas.

Num relatório datado de 2 de setembro, divulgado esta segunda-feira pelo Jornal de Negócios e a que a agência Lusa também teve acesso, a Fitch reiterou a preocupação com a meta de redução do défice e salientou alguns fatores de risco, apesar de considerar que a execução orçamental até julho (em contabilidade pública) aponta para "um quadro orçamental relativamente estável".

"Vários fatores, no entanto, podem complicar a performance orçamental na segunda metade de 2016 e daí para a frente", alertaram os analistas da Fitch, apontando que a redução do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) na restauração "pode ter um impacto adverso na receita indireta superior ao esperado pelo Governo" e que, "da mesma maneira, a despesa corrente pode ser pressionada pela redução das horas semanais de trabalho dos funcionários públicos".

Neste contexto, a Fitch mantém a "previsão cautelosa" de um défice de 2,7% do PIB no final deste ano, mas deixa um conselho: "Se o Governo decidir manter algumas 'almofadas orçamentais - as autoridades identificaram cativações de despesa no valor de 0,25% do PIB - então o défice pode aproximar-se da meta".

A Fitch alerta ainda para "alguma pressão" dos partidos de esquerda que apoiam o Governo no parlamento para "abrandar o ritmo da consolidação orçamental ou para impedir algumas medidas que venham a ser impostas pela Comissão Europeia".

Ainda assim, os analistas da agência de 'rating' afirmam que o "maior risco" para as contas portuguesas é "a fraqueza do setor financeiro e, principalmente, a necessidade de injetar mais capital na Caixa Geral de Depósitos (CGD)".

"Embora os fundos para recapitalizar a CGD venham do Estado, não há clareza quanto ao impacto final que essa injeção tenha no défice e nas metas exigidas por Bruxelas. É certo que a recapitalização vai afetar as necessidades de financiamento do Estado ou que pode levar a um aumento da dívida", sublinha a Fitch.

Numa entrevista publicada hoje pelo Jornal de Negócios, a presidente da Agência de Gestão de Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP), Cristina Casalinho, assegurou que a recapitalização da Caixa não terá impacto no financiamento deste ano.

A 19 de agosto, quando anunciou que manteve o rating atribuído a Portugal, a Fitch já tinha avisado que a pressão sobre o setor financeiro pode influenciar negativamente a evolução da nota.

As instituições financeiras continuam a ressentir-se da falta de qualidade dos seus ativos, afetados pela exposição ao fraco crédito hipotecário e aumento dos créditos de cobrança duvidosa, sobretudo na carteira empresarial.

"Isto continua a ser um entrave à rentabilidade e coloca pressão sobre a posição de capital de algumas instituições como a CGD. As autoridades pretendem concluir a reestruturação do sistema em meados de 2017 (incluindo a venda de Novo Banco), mas pode haver atrasos neste calendário", sublinhou, na altura, a agência.

Lusa

  • António Costa desdramatiza recomendação da UTAO
    1:41

    Economia

    A UTAO calculou um défice de 2,7% no 1º semestre do ano e os técnicos pedem atenção ao Governo no para que a meta seja atingida. António Costa desdramatiza e insiste que Portugal vai fechar o ano com um défice abaixo dos 2,5% exigidos por Bruxelas.

  • UTAO estima défice de 2,7% no 1.º semestre

    Economia

    A UTAO estima que, no primeiro semestre deste ano, o défice orçamental se tenha situado nos 2,7% do PIB, em contas nacionais, uma "melhoria face ao período homólogo", mas alerta para "pressões orçamentais" no segundo trimestre.

  • Marcelo confiante no cumprimento do défice em 2016
    2:15

    Economia

    O Presidente da República mostrou-se confiante no cumprimento do défice em 2016, afirmando que se o cenário se mantiver como está agora, Portugal consegue alcançar o défice de 2.5% do PIB. No entanto, o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, discorda e diz que os números de que dispõe apontam noutro sentido.

  • "Estamos vivos"
    11:41

    Reportagem Especial

    Os incêndios de 15 de outubro provocaram sete milhões de euros de prejuízos em empresas da região Norte. Castelo de Paiva foi o concelho mais atingido, o fogo destruiu várias casas e empresas que davam trabalho a cerca de 200 pessoas. Um mês depois do incêndio, a Reportagem Especial da SIC foi ver o que está a ser feito para ajudar a população.

  • Administrador recebia 420 mil € por ano quando aldeamento passava dificuldades
    4:39

    Operação Marquês

    A Caixa Geral de Depósitos tentou cortar para metade o salário do presidente do Conselho de Administração de Vale do Lobo, mas não conseguiu. Diogo Gaspar Ferreira ganhava 420 mil euros por ano, quando o empreendimento estava enterrado em dívidas. A Autoridade Tributária estima também que o arguido da Operação Marquês não tenha declarado 400 mil euros pagos pelo aldeamento.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27
  • Político oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Peru faz aparição especial na Casa Branca
    1:10

    Mundo

    Os norte-americanos estão a preparar-se para o tradicional Dia de Ação de Graças, assinalado na próxima quinta-feira. O tradicional peru fez esta terça-feira uma aparição especial na sala de conferências de imprensa, na Casa Branca, em Washington. O peru é o prato tradicional no Dia de Ação de Graças, uma data de louvor a Deus, que remonta ao século XVII e que é celebrada na quarta quinta-feira de novembro, sobretudo nos Estados Unidos da América e no Canadá.

  • Sara Sampaio brilha em Xangai
    1:50