sicnot

Perfil

OE 2016

OE 2016

Orçamento do Estado 2016

Necessidades de financiamento do Estado para 2016 sobem para 23.700M€

As necessidades de financiamento do Estado para 2016 foram revistas em alta, em 700 milhões de euros, para 23.700 milhões de euros, devido sobretudo à capitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD), informou a UTAO esta quarta-feira.

Na nota mensal sobre a dívida a que a agência Lusa teve acesso, a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) lembra que, em julho, as necessidades de financiamento eram de 23.000 milhões de euros e que, em setembro, passaram para os 23.700 milhões de euros, segundo a apresentação aos investidores da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (ICGP).

Esta revisão em alta de 700 milhões de euros "é resultado da revisão em alta da despesa líquida com ativos financeiros de 100 milhões de euros para 2.800 milhões de euros devido, sobretudo, ao novo programa de capitalização da CGD".

Ainda assim, afirma a UTAO, este acréscimo "é atenuado" pela redução do reembolso previsto do empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI), de 8.800 milhões de euros para 6.000 milhões de euros.

Já no que diz respeito a 2017, as necessidades de financiamento do Estado foram revistas em baixa, em consequência da amortização prevista de títulos de médio e longo prazo se ter reduzido de 7.900 milhões de euros para 7.400 milhões de euros, de acordo com a UTAO.

Para esse ano, está previsto também, segundo os cálculos da UTAO e os números do IGCP, um reembolso ao FMI de 1.500 milhões de euros.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.