sicnot

Perfil

Orçamento do Estado 2017

Costa garante OE sem medida de tributação do património que penalize investimento

Costa garante OE sem medida de tributação do património que penalize investimento

O primeiro-ministro garante que o Orçamento do Estado não terá qualquer medida de tributação do património que penalize o investimento ou que afete os rendimentos das famílias. António Costa defende que é prematuro discutir medidas avulsas, que ainda não estão fechadas e que podem até não se confirmar.

  • "Taxar riqueza não é taxar poupança"
    3:52

    Economia

    Mariana Mortágua esclarece que taxar riqueza não é a mesma coisa que taxar poupança, após ter defendido que é preciso perder a vergonha de ir buscar dinheiro a quem está a acumular riqueza. A deputada do BE explicou-se esta segunda-feira no Twitter. As declarações dividem os socialistas e a oposição diz que Mortágua parece ser a nova ministra das Finanças.

  • BE garante que imposto é para quem acumula habitações de luxo
    2:22

    Economia

    Catarina Martins disse esta segunda-feira que o novo imposto sobre o património não é para quem tem duas habitações ou recebeu uma casa de herança, mas para quem acumula habitações de luxo. A explicações surgem no mesmo dia em que, num artigo de opinião, Helena Roseta se distancia de António Costa.

  • Jerónimo de Sousa a favor do imposto sobre o património
    0:40

    Economia

    Jerónimo de Sousa mostrou-se esta tarde a favor do imposto sobre o património. Na conferência de imprensa no final da reunião do Comité Central do partido, o secretário-geral comunista não se quis comprometer com um valor, mas disse que é normal que para devolver rendimentos, tenha que haver este imposto.

  • "Este imposto a existir é criminoso para a economia"
    26:47

    Luís Marques Mendes

    Luís Marques Mendes esteve no Jornal da Noite para comentar a atualidade nacional e internacional. Sobre o novo imposto que vai incidir no património o comentador diz que a existir será "criminoso para a economia", uma vez que vai "afastar os investidores nacionais e estrangeiros". Marques Mendes vai mais longe e diz que se trata de "um assalto fiscal".