sicnot

Perfil

Orçamento do Estado 2017

Jerónimo considera "inaceitável" retroceder na reposição de direitos e rendimentos

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, disse sábado, nos Açores, que seria inaceitável o Orçamento de Estado para 2017 retroceder na reposição de direitos e rendimentos.

ANTONIO-ARAUJO

"O pior que poderia acontecer era que este Governo considerasse que era altura de retrocessos, que era altura de fazer o mesmo que outros fizeram, isso seria inaceitável", afirmou Jerónimo de Sousa, num jantar em Angra do Heroísmo, ilha Terceira, com candidatos da CDU às eleições legislativas regionais dos Açores, que ocorrem a 16 de outubro.

Jerónimo de Sousa referiu que tendo em conta a nova relação de forças existentes na Assembleia da República foi possível "recuperar e repor direitos e rendimentos", dando o exemplo do Orçamento de Estado para 2016, pelo que considerou "importante" que o mesmo ocorra em 2017.

"A nossa disponibilidade é para examinar esta proposta de Orçamento de Estado, examinar com a ideia que é preciso continuar a repor rendimentos e direitos", referiu Jerónimo de Sousa, destacando que para o Partido Comunista Português (PCP) tem "um grande significado" a proposta de aumento de reformas e pensões.

Para o dirigente comunista e deputado no parlamento "é preciso que os reformados e pensionistas recuperem algum poder de comprar", pelo que o PCP vai bater-se por um "aumento extraordinário de 10 euros" para todas as pensões.

Segundo disse Jerónimo de Sousa a proposta comunista não foi acompanhada ao princípio pelo PS e o Bloco de Esquerda, mas este último partido já se deixou convencer.

Além de uma direita "enraivecida, que não soube perder e está em permanente negação e a anunciar desgraças", Jerónimo de Sousa criticou os círculos de decisão da União Europeia e as suas instituições por não gostarem da solução política encontrada em Portugal, nem do caminho seguido de recuperação e reposição de direitos e rendimentos.

"Semana sim, semana sim lá vem ora o presidente do Conselho Europeu, ora o presidente do Eurogrupo, ora o Fundo Monetário Internacional (FMI) sempre a ameaçar com cortes, sanções, multas e cativação de fundos estruturais", afirmou o secretário-geral do PCP, classificando estas atitudes de "chantagem inaceitável" que coloca a Portugal a "necessidade urgente" de se libertar "destes constrangimentos".

Lusa

  • Lei existe há quatro anos mas não tem regulamentação
    2:03
  • Denúncia de maus tratos a cães no canil municipal de Elvas
    2:24

    País

    O Grupo de Intervenção e Resgate Animal denunciou nas redes sociais alegados maus tratos a animais no canil municipal de Elvas. As imagens mostram uma cadela com uma corda ao pescoço. A autarquia abriu um inquérito para averiguar o caso, suspendendo também o trabalho dos voluntários no canil.

  • Há cada vez menos portugueses

    País

    A população em Portugal diminuiu no ano passado, pelo oitavo ano consecutivo, já que o número de mortes continua a ser superior ao de nascimentos, revelam dados hoje divulgados pelo INE.

  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Estados Unidos vão reforçar as sanções à Coreia do Norte
    1:31

    Mundo

    Washington pretende também investir nos esforços diplomáticos para que Pyongyang ponha fim aos programas nucleares e de mísseis. A nova estratégia de Donald Trump foi anunciada quarta-feira à noite. A força aérea norte-americana testou esta quarta-feira um míssil de longo-alcance que percorreu 6800 quilómetros sobre o Pacífico a partir de uma base na Califórnia.

  • Le Pen vai à pesca
    0:35

    Eleições França 2017

    Marine Le Pen, candida à presidência de França fez esta quinta-feira uma "pausa" na campanha eleitoral e aproveitou para ir à pesca. A candidata navegou num barco de pesca no Mediterrâneo.

  • Ovibeja aposta este ano na internacionalização da agricultura
    2:07

    País

    A Ovibeja começou esta quinta-feira e este ano aposta na internacionalização dos produtos agrícolas do Alentejo. Centenas de expositores esgotam o certame, que é uma monstra da agricultura portuguesa. António Costa, na sexta-feira, e Marcelo Rebelo de Sousa, no sábado, são alguns dos políticos com a presença marcada em Beja.