sicnot

Perfil

Orçamento do Estado 2017

Costa não esclarece se fim da sobretaxa do IRS será de forma gradual ou em janeiro

Costa não esclarece se fim da sobretaxa do IRS será de forma gradual ou em janeiro

O Bloco de Esquerda insiste que a sobretaxa do IRS tem de acabar já no início do próximo ano, tal como está previsto na lei aprovada no fim de dezembro de 2015. Uma posição reforçada quando ainda se discute o Orçamento do Estado para 2017 e o primeiro-ministro não esclarece se será em janeiro ou de forma gradual.

  • António Costa confirma fim da sobretaxa em 2017
    0:10

    Economia

    O primeiro-ministro confirmou esta segunda-feira que a sobretaxa vai acabar, para todas as famílias, no próximo ano. Durante a visita à China, António Costa não explica, no entanto, se o fim do imposto especial será feito de uma só vez, ou de forma gradual.

  • Fim da sobretaxa de IRS deverá ser faseado
    1:47

    Economia

    A sobretaxa de IRS pode não acabar ao mesmo tempo para todos os contribuintes já no próximo ano. A ideia do Governo é acabar com a sobretaxa aos poucos para os rendimentos mais altos. Esta pode ser uma das formas encontradas pelo executivo para compensar o aumento das pensões, exigido pelos parceiros de esquerda.

  • Governo discute fim faseado da sobretaxa de IRS

    Economia

    A sobretaxa de IRS pode não acabar ao mesmo tempo para todos os contribuintes em 2017. Fonte do Governo disse ao jornal Público que o objetivo é o fim faseado da sobretaxa, mantendo o imposto sobre os rendimentos mais altos e ir desagravando a carga fiscal ao longo do ano até que esta seja totalmente eliminada.

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.