sicnot

Perfil

Orçamento do Estado 2017

Costa diz que sobretaxa do IRS pode não acabar totalmente em janeiro

O primeiro-ministro admite que a sobretaxa do IRS pode não acabar para todos os contribuintes em janeiro, mas reitera que será eliminada totalmente em 2017, numa entrevista ao Diário de Notícias e TSF divulgada hoje.

"Iremos cumprir, seguramente no próximo ano, o compromisso de eliminar a sobretaxa. Mesmo que esse compromisso não seja integralmente cumprido no dia 1 de janeiro", disse António Costa.

O primeiro-ministro lembra que "a esmagadora maioria dos portugueses neste ano já não foi tributada com a sobretaxa do IRS" e acrescenta que se orgulha "muito" de ter conseguido "cumprir todos os compromissos" que assumiu, referindo, para além da sobretaxa, a reposição total dos vencimentos da função pública este ano e de "praticamente" todas as pensões.

António Costa, que deu esta entrevista no final da visita à China, onde esteve desde sábado, enquanto decorriam em Lisboa as negociações do Orçamento do Estado para 2017, diz ainda que "um Orçamento é sempre um exercício complexo, dentro do Governo, com os parceiros parlamentares, e este processo não fugiu à regra".

Ainda assim, "neste ano foi mais fácil, desde logo porque as pessoas tinham hábitos de trabalho que há um ano não tinham", afirmou, referindo-se aos partidos de esquerda com quem o PS negoceia a proposta de Orçamento.

O primeiro-ministro garante que o documento que será entregue na Assembleia da República na sexta-feira é "uma boa proposta", mas que "naturalmente" há "condições para poder ser melhorada ao longo do debate parlamentar, até ao dia 29 de novembro".

Lusa

  • Hospitais vão ser penalizados se não cumprirem tempos de espera
    2:37

    País

    O Ministério da Saúde vai penalizar os hospitais que não cumprem os tempos de espera nas urgências e que tenham taxas elevadas de cesarianas. O novo modelo de financiamento prevê ainda linhas de financiamento próprio para a obesidade e rastreios do cancro do cólon e do colo do útero.

  • Assédio, até onde vai a tolerância?
    35:26